Unidade do Hemepar em Cianorte consegue manter estoques de sangue abastecer região

Da Redação

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar), com sede em Cianorte, é referência para os 11 municípios atendidos pela 13º Regional de Saúde (RS), e segue na contra mão de outros bancos de sangues do Paraná que comumente sofrem com a falta escassez de doares e os baixos estoques em suas unidades. O centro na Capital do Vestuário tem conseguido manter o estoque em dia e atender a demanda regional por sangue.

Junho é o mês de incentivo a doação de sangue. Atualmente o Hemepar de Cianorte conta 6.858 doadores ativos desde janeiro de 2017, segundo dados da coordenação do banco. As coletas abastecem cinco hospitais que pertencem à 13ª Regional de Saúde: a Fundação Hospitalar do Paraná (Fundhospar) de Cianorte, Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Hospital São Paulo e a Clínica de Hemodiálise. 80% dos pedidos são realizados e entregues à Fundhospar.

De acordo com a Patrícia Regina de Oliveira, que é coordenadora do Hemepar, o resultado positivo quanto ao estoque do banco tem ligação direta com a organização do local e a disponibilidade dos doadores que não deixaram de colaborar mesmo em época de pandemia.

“É uma união com duas junções, os doadores e a equipe que faz todo o monitoramento das tipagens sanguíneas. Quando eles percebem que vai baixar determinada tipagem, nós entramos em contato com os doadores e os convocamos. Desta forma o estoque não abaixa significante e não zera”, explicou Patrícia.

Para garantir uma rede fixa de doadores, o banco de sangue faz parcerias com empresas da cidade, além do Tiro de Guerra, e Polícia Militar. Uma das estratégias para chamar colaboradores é a isenção em inscrições de concursos públicos, e descontos em eventos e cinema.

“È preciso lembrar que estamos com estoque em dias e dando conta da demanda, mas para isso continuar é necessário que as doações não sejam interrompidas”, alertou Patrícia.

DOAÇÕES X PANDEMIA

De acordo com a coordenação do Hemepar, as doações tiveram quedas de 2019 para 2020 em torno de 14%. A razão está direcionada à mudança no atendimento ao público que precisou ser menor por conta da pandemia, mesmo assim, as coletas continuaram e o fluxo só diminui de forma considerável em semanas de maior restrição. As coletas são realizadas de segunda à quinta-feira no período da manhã.

Algumas mudanças foram feitas na triagem por conta do Covid-19. As orientações são de que o doador que se contaminou com o vírus, só doe 45 dias após a coleta do exame. Para quem já se vacinou com a Coronavac é necessário esperar dois dias, e quem se imunizou com a Astrazeneca e Pfizer, o prazo é de uma semana.

Além dessas orientações, para ser apto a doar sangue, é necessário ter entre 16 e 69 anos (menor de 18 anos apenas acompanhado pelo responsável legal), pesar no mínimo 50 quilos, estar em boas condições de saúde, e ir descansado e alimentado evitando alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação.

A situação estadual do Hemepar é grave, a queda de doadores no Paraná caiu em até 50% segundo a Secretária Estadual de Saúde (Sesa), com estoques 40% abaixo do necessário, algumas unidades tiveram seus estoques zerados. Por conta da pandemia os atendimentos precisam ser feito por agendamentos em algumas cidades.

O Hemepar abastece 385 hospitais públicos, privados e filantrópicos no Paraná, além de atender 92,8% de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado. O Centro de Hematologia é responsável pela coleta, armazenamento, processamento, transfusão e distribuição de sangue.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *