IDR-Paraná promove concurso para premiar a colheita de soja

O Innstituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) criou a competição para melhorar o desempenho de agricultores e operadores de máquina durante a colheita de soja.  São premiados os operadores que foram mais eficientes no trabalho.

A região de Maringá (Noroeste) realiza o 16º Concurso Regional de Qualidade na Colheita da Soja. O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) criou a competição para melhorar o desempenho durante a colheita do produto. O concurso premia os operadores de máquinas que forem mais eficientes no trabalho.

A premiação desta edição será de forma virtual e transmitida pelo canal do YouTube do IDR-Paraná nesta quinta-feira (03.12) às 19:00 horas.

O concurso tem como objetivo demonstrar que é possível reduzir os desperdícios na colheita e aumentar os lucros com a soja, com uma boa revisão, regulagem e manutenção das colheitadeiras.

Nesta edição, safra 2019/2020, foram avaliadas 200 colheitadeiras, em vinte municípios da região. As avaliações das máquinas foram realizadas com a aplicação de uma metodologia desenvolvida pela Embrapa Soja, seguindo o protocolo técnico do MIC-Soja (Monitoramento Integrado de Colheita da Soja).

As equipes de avaliadores são formadas por profissionais do IDR-Paraná e universitários da Unicesumar, Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Uningá. Também integram as equipes alguns profissionais das prefeituras, sindicatos, cooperativas e empresas privadas do setor.

Resultados

Segundo a Embrapa, durante a colheita da soja na safra 2018/2019 o desperdício médio no Paraná chegou a 1,17 sacas/ha. A média de desperdício dos participantes do concurso ficou bem abaixo desse índice, 0,45 sacas/ha. Um resultado conseguido graças à orientação dos operadores das colheitadeiras.

Nos 50.000 hectares cultivados pelos participantes do concurso obteve-se uma economia de 36.000 sacas de soja, causando um impacto financeiro em torno de R$ 3,6 milhões para a região de Maringá. (Preço médio da saca de soja: R$ 100/saca).

O Paraná cultiva em torno 5,4 milhões de hectares de soja. Se todos os operadores tivessem o mesmo desempenho dos participantes do concurso, seriam 3.888.000 sacas não desperdiçadas e uma economia para o estado em torno de R$ 388,8 milhões.

No Brasil, onde são cultivados em torno de 62.400.000 hectares e o desperdício médio é de 2,0 sacas/ha, a economia seria de R$ 9,6 bilhões, relativos a 96.720.000 sacas que não ficariam no campo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.