Falta de chuva atrasa plantio da soja

Depois do fim da colheita da safra do milho safrinha, começa o plantio de soja na região. Normalmente, o plantio começa no mês de setembro, mas devido ao grande período de estiagem o período de semeadura está atrasado. Apenas 5% da área foi semeada. Em uma situação normalizada climaticamente, com chuva suficiente, 50% da área já estaria plantada. 

De acordo com o chefe do Escritório Regional da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (SEAB), Francisco Cascardo, não era possível fazer o plantio da soja dentro do período desejável. “5% de área está plantada e o que atrasou foi o solo seco. Não tem com plantar. Se estivesse em período normal já teria sido plantado mais de 50%. Mas agora estávamos na expectativa das chuvas para colaborar”, afirmou.

Como esclareceu Cascardo, a época do plantio da soja vai até dezembro, pois existe uma grande variedade de ciclos. “Os ciclos se adaptam às épocas de plantio, mas a grande maioria é plantada cedo, entre o mês de setembro e a primeira quinzena de outubro”, esclareceu. De acordo com o chefe do escritório, isso acontece para que dê tempo de fazer o plantio do milho safrinha, “pois quanto mais tarde planta a soja, menos produtividade tem o milho safrinha”, acrescentou.

E para possibilitar a semeadura da safrinha, a colheita da soja deve ser finalizada entre janeiro e o início de fevereiro.

O período da soja é extenso, alguns vão até dezembro, o que não é muito comum, conforme Cascardo. “Caso a soja seja plantada na primeira quinzena de outubro ainda dá uma colheita boa do milho safrinha, mais segura, com menos risco e mais produtividade. Passou deste período fica complicado, pois na verdade é uma cultura atípica. Ele acaba sendo plantado no inverno, mas é uma cultura de verão”, esclareceu.

Segundo Cascardo, esse plantio acontece nessa época, pois o produtor aproveita antes do início do inverno, quando ainda há uma condição satisfatória, para plantar.

Plantio tardio

Conforme Cascardo, em 2019 a mesma situação da estiagem e tempo seco afetou o plantio da soja e consequentemente a produção do milho. “Com a estiagem e o plantio tardio, tivemos perda de cerca de 11,21% na produtividade do milho, em comparação da safra de 2019/20 com a de 2018/2019”, explicou.

“Isso comprova que quanto mais tarde o produtor planta a soja e depois vem com o milho, ocorre o aumento do risco e redução da produtividade”, acrescentou.

Expectativa

Com as chuvas dos últimos dias e a previsão de novas pancadas, há uma grande expectativa dos agricultores. “Por enquanto fizemos uma avaliação dos índices do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) e choveu muito pouco, uma média de 15 milímetros na região, o que ainda é insuficiente. O solo ainda está bem seco. Mas acreditamos que vá ocorrer uma aceleração nos próximos dias”, disse Cascardo. 

Para o chefe do escritório, até o final de outubro as áreas de plantio de soja devem estar praticamente concluídas. “Teremos cerca de 80% de área plantada até o final do mês”, explicou.

Simepar

Conforme informações do Simepar, durante o mês de outubro, até o final da tarde de ontem, 15, havia chovido 17,2 milímetros.

De acordo com o meteorologista, Paulo Barbieri, há previsão de chuva para o próximo domingo e segunda-feira. “Quinta-feira ainda chove. Sexta e sábado com tempo bom e domingo, 18 e segunda, 19, chuvas isoladas, não atingem toda a região. Apenas pancada devido ao aquecimento”, explicou.

A média histórica de chuvas em outubro é de 158,4 milímetros. “Estamos com chuvas abaixo, como vem ocorrendo nos meses anteriores. Mas ainda temos 15 dais, não da para garantir que não haverá índice pluviométrico suficiente”, esclareceu Barbieri.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *