Coleta de resíduos recicláveis aumenta 27% devido à pandemia

Durante o período de pandemia do novo coronavírus a produção de lixo reciclável teve um aumento expressivo, principalmente o material reciclável. Houve um aumento de 27% na quantidade de resíduos recicláveis, enquanto os resíduos orgânicos tiveram um acréscimo de 2%.

De acordo com informações levantadas pelo gerente regional da Sanepar de Umuarama, Carlos Henrique Gonçalves, durante os meses de março a julho de 2020 foram recolhidas 85 toneladas de materiais recicláveis por dia. Enquanto que no mesmo período do ano anterior foram 67 toneladas diárias.

Já com relação aos resíduos orgânicos foram recolhidas (entre março e julho) em média 1,16 toneladas por dia, e em 2019 foram 1.14 toneladas.

Segundo Gonçalves, o que fez com que a quantidade de resíduos, principalmente os recicláveis, aumentasse expressivamente foi devido o isolamento social. “O aumento na geração foi devido as pessoas estarem em casa, ocorrendo maior consumo de produtos que possuem embalagens descartáveis. Há de considerar também que no início da pandemia, os coletores de recicláveis ambulantes, deixaram de recolher o lixo, pois não tinham onde entregar/vender”, esclareceu. 

A quantidade de material reciclável aumentou também devido ao aumento da demanda de compras online, o que acarreta na maior produção e uso de embalagens. “As pessoas em casa proporcionam maior consumo, devido à alteração do perfil e, com aumento do mercado on-line, principalmente, para alimentação (delivery)”, destacou.

Cuidados

Os funcionários da Sanepar que recolhem o lixo precisaram se readequar devido aos perigos da contaminação. “Foram reforçadas as medidas de prevenção ao risco de contaminação, a higienização, o uso de máscara e álcool gel”, disse o gerente.

De acordo com Gonçalves, houve alteração na coleta nos locais em que tinham pessoas com casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. “Eles foram orientados a utilizar embalagens com boa vedação e desinfecção com solução à base de cloro ou álcool 70. Neste caso, os materiais recicláveis desses locais, eram tratados como resíduos comuns”, explicou.

Trabalho

Mesmo com o aumento da demanda de lixo, não foi necessário aumentar o número de trabalhadores. “Os roteiros já estão dimensionados para suportarem aumento na geração de lixo. O aumento da quantidade de lixo acarretou na maior frequência nas descargas dos caminhões coletores”, disse o gerente regional Carlos Henrique Gonçalves.

Segundo Gonçalves, neste período da pandemia, com relação aos resíduos recicláveis que são entregues na associação, os materiais precisaram ficar um período de quarentena antes de iniciarem a separação. “São orientações da saúde pública, visando à redução do risco de contaminação”, afirmou.

Como apontou o gerente regional, os resíduos orgânicos são coletados pela Sanepar e depositados em células no aterro sanitário de Cianorte. Já os recicláveis, a Sanepar realiza a coleta e entrega para Associação dos Agentes Ambientais do município, melhorando a renda de famílias carentes.

De acordo com o gerente, todo o lixo coletado é depositado no aterro e recebe o devido tratamento no local. “Temos projeto em andamento para a ampliação da área do aterro sanitário”, esclareceu.

O aterro sanitário de Cianorte recebe resíduos da população do próprio município, dos distritos Vidigal e São Lourenço; Guaporema; Indianópolis; São Tomé; e Terra Boa.

Em Cianorte, a Sanepar conta com 37 trabalhadores próprios e terceiros na coleta e aterro. E cerca de 20 que pertencem à associação.

Separação

Conforme Gonçalves, falta atenção da população na hora de separar os itens ao jogá-los fora. “Ainda tem lixo reciclável encaminhado junto ao orgânico, em trabalho de análise gravimétrica no aterro, observa-se que o lixo orgânico é composto de 35% de reciclável”.

Coleta

A coleta de lixo no centro da cidade de resíduos orgânicos acontece diariamente e de recicláveis duas vezes na semana (terça e quinta-feira). Nos demais bairros da cidade, coleta de orgânicos acontece três vezes por semana e recicláveis uma vez por semana.

Orientaçoes na hora de descartar o lixo:

– Não misture o lixo comum com o lixo reciclável;
– Devem ser separado em sacos/caixas diferentes até o dia correto da passagem do caminhão;
– Resíduos recicláveis deveriam ser colocados na lixeira somente no dia em que passa o caminhão para a coleta;
– Embalagens plásticas precisam ser enxaguadas, as garrafas também e enviadas sem rosquear a tampa;
– Itens devem estar limpos e secos para evitar a presença de contaminantes, mau cheiro e insetos.

O simples ato de separar o lixo em casa, estará:

– Poupando a natureza, preservando rios, plantas e animais;
– Gerando empregos e movimentando a economia da cidade;
– Transformando matéria prima usada em coisas novas.
– Evitando doenças e enchentes;
– Prolongando a vida útil do aterro sanitário.

 

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.