“Quero devolver a Cianorte tudo que ela me deu”

Quando Marco Franzato vendeu seu Monza ano 92, modelo 93, para investir todo o dinheiro do veículo num negócio que viria a se chamar Grupo Morena Rosa, esse empresário de 61 anos bem sucedido no mundo dos negócios, mas avesso a ternos bem cortados e gravatas caras e fã de tênis e calça jeans, não esperava e nem imaginava que daquele carro construiria um império empresarial que hoje emprega quase duas mil pessoas só em Cianorte e é um dos maiores geradores de renda da Capital do Vestuário. A única certeza que ele tinha era que esse negócio daria certo.

Tanto deu que hoje Marco Franzato se diz na obrigação de retribuir tudo aquilo que a cidade lhe proporcionou de oportunidade de vida. Para ele, chegou a hora de fazer com que a cidade ofereça chances de crescimento econômico, social e intelectual ao cianortense, assim como ele teve a oportunidade há quase 40 anos, quando iniciou no mundo dos negócios.

“Ser prefeito de Cianorte é uma oportunidade de fazer uma verdadeira transformação. Nossa gestão será transformadora. Uma gestão para as pessoas. Eu tenho a consciência que eu preciso ser um prefeito que vai olhar para quem não foi visto nestes 16 anos. E nós vamos olhar para quem necessita de forma humanizada. É isso que toca o meu coração. Ajudar essa cidade a se desenvolver, trazer emprego, renda e melhorar a vida de todo mundo”, detalha.

Marco Franzato conta nessa entrevista que fecha a série da TRIBUNA DE CIANORTE com os candidatos a prefeito de Cianorte que ser prefeito é um projeto que ele planejou há 20 anos. Desde então, ele tem estudado a administração pública, feito levantamentos sobre a cidade, criado projetos e se preparado para planejar a sua Cianorte pelos próximos 50 anos. Nessa entrevista, Marco Franzato explica um pouco das suas propostas.

TRIBUNA DE CIANORTE – Por que ser prefeito de Cianorte?

Marco Franzato – Ser prefeito de Cianorte é um projeto de 20 anos . Desde 2000 que eu venho me programando para esse grande projeto. Olhando e estudando como funciona a máquina pública. E eu vejo uma oportunidade de fazer uma grande transformação em Cianorte. Tenho a consciência de que eu posso e de que eu vou fazer uma gestão voltada para as pessoas. Um governo para aqueles que nunca foram percebidos nesses 16 anos. Quero ser prefeito para poder unir os setores produtivos da cidade em busca de uma grande discussão que faça a nossa cidade se desenvolver. Meu projeto começa agora em 2021 para planejar a cidade até 2050.

TRIBUNA – Conquistado tudo que o senhor já conquistou na vida profissional, assumir a prefeitura de Cianorte é mais vaidade ou mais retribuição?

Marco Franzato – Não se trata de vaidade. É gratidão. É a vontade e o desejo de devolver para cidade tudo aquilo que ela me deu. E sobretudo tudo por acreditar nessa cidade e nessa gente.

TRIBUNA – E qual o maior problema de Cianorte atualmente?

Marco Franzato – O maior problema de Cianorte é a falta empregos, mas é preciso entender que existem outros problemas. No caso do emprego, é preciso resgatar a autoestima das pessoas. Primeiro apoiar as grandes e médias empresas. Depois aproveitar esse apoio que o governo estadual está dando para o nosso governo. Esta semana o secretário de Planejamento Valdemar Bernardo Jorge me visitou e disse que o governador (Ratinho Junior) quer saber que tipo de obra a cidade precisa. Vamos aproveitar essa abertura e essa ligação com o governo estadual. Também vejo uma grande oportunidade para fazer uma transformação na Saúde através da tecnologia, por exemplo, assim como a Segurança Pública, e ainda investir pesado em Agricultura e Desenvolvimento Urbano.

TRIBUNA – O Marco Franzato eleito vai ser mais empresário ou mais político?

Marco Franzato – Eu vou ser eu mesmo. O cara que vai continuar andando nas ruas, ouvindo as pessoas, que conversa e que observa. Vai ser uma soma, o Marco político que conversa muito com as pessoas e o Marco empresário que quer fazer a cidade crescer e a população viver melhor.

TRIBUNA – Existe uma impressão que uma vez eleito, o senhor vai administrar a prefeitura como uma empresa? Quem pensa assim está errado?

Marco Franzato – Não. Nós vamos olhar para todas as áreas e principalmente para a área de assistência. Por exemplo, a gente tem um grande projeto habitacional que pode beneficiar quatro mil famílias com moradias dignas e com prestações justas. Isso é uma grande projeto social. A parte empresarial está muito no meu DNA, mas esse modelo de política antiga nós não vamos praticar. Vamos fazer política moderna, de participação e sem perseguição. Esse é o nosso modelo. Essa é a forma como a gente trabalha.

TRIBUNA – E se eleito, qual será seu primeiro ato como prefeito de Cianorte?

Marco Franzato – Estruturar a prefeitura. Precisamos olhar todas as secretarias, orçamentos, pessoas, entender como toda a máquina funciona. Isso é no primeiro dia. E explicar como nós vamos tocar a prefeitura com o nosso modelo de gestão. Nosso primeiro ato será envolver a equipe em torno do modelo de gestão que aplicaremos daqui em diante.

TRIBUNA – Um orçamento de R$ 320 milhões é suficiente para fazer tudo que você pretende?

Marco Franzato – É. É um bom orçamento que precisa ser bem administrado. O que nós precisamos fazer é cuidar bem desses recursos, da sua distribuição. E digo mais, para 2022 dá para melhorar e não tenho dúvidas de que vai crescer. E com esse dinheiro, do jeito certo, com transparência nas licitações, nós vamos promover uma verdadeira revolução nessa cidade.

TRIBUNA – O que tem de errado com Cianorte?

Marco Franzato – Nossa cidade é uma cidade muito boa de viver. Mas o maior problema é essa política voltada apenas para um grupo. Não há mais espaço para esse tipo de política. Não pode ser uma coisa para uma pessoa ou para um grupo. A cidade é de todos.

TRIBUNA – Cianorte é uma cidade muito desigual. O que fazer para diminuir essa desigualdade?

Marco Franzato –Nossa cidade está precisando de cuidados. Geração de emprego e melhoria na renda das pessoas. Hoje a renda da maioria das pessoas ainda é muito baixa. Vamos melhorar isso dando condições para que as empresas consigam gerar mais empregos com salários melhores. Isso melhora a vida das pessoas e diminui essa desigualdade e é isso que nós vamos fazer.

TRIBUNA – Você sabe realmente como atrair empregos para a cidade?

Marco Franzato – Eu tenho a convicção e a certeza disso. Porque o nosso modelo de gestão é pensado de baixo para cima. Justamente para poder envolver as pessoas. Primeiro pensar em quem mais precisa. Segundo, nós temos dinheiro para oferecer condições e facilidades para que as empresas que já estão instaladas aqui aumentem seus negócios e sua produção. Terceiro, com esses mesmos incentivos, que podem ser terrenos, barracões, incentivos fiscais, ajuda na área de infraestrutura também vai ser oferecido para os investidores de fora. Nós vamos envolver toda a cidade num grande projeto de desenvolvimento, em que o emprego é o maior objetivo.

TRIBUNA – Educação também é prioridade para o senhor?

Marco Franzato – A Educação precisa de um olhar diferenciado. Temos bons professores, bons educadores, pedagogos, mas a gente precisa dar condições de trabalho para esses profissionais. Por exemplo, nós não podemos admitir que nos dias de hoje alunos estudem em salas de aula sem ar-condicionado, assim como creches. Não podemos admitir a falta de vagas nas creches para crianças. Tudo isso precisa ser solucionado de uma forma rápida e eficiente. Nós vamos ampliar as creches, mas também fazer parcerias. E mais, no governo não haverá criança fora da escola. Nossa Educação será transformadora e vamos sair de um Ideb (índice de Desenvolvimento do Ensino Básico) de 6,8 para 8,0.

TRIBUNA – Um dos seus pilares é Saúde. O que o senhor enxerga de errado no sistema de Saúde aplicado em Cianorte?

Marco Franzato – Nós temos um orçamento que passa e R$ 100 milhões por ano investidos na saúde. São cerca de R$ 280 mil por dia gastos com um sistema que eu não entendo como funciona. Por que o que eu vejo são pessoas saindo 2, 3, 4 horas da manhã de suas casas para marcar uma consulta. Porque nós não temos tecnologia para marcar essa consulta? Porque que não temos oferta de consultas com especialistas em Cianorte? Porque não temos UTI neonatal? Nós não temos um lugar para fazer quimioterapia e radioterapia? Porque não temos neurocirurgias? Mesmo com um orçamento desse tamanho nós não temos nada. Com esse dinheiro eu tenho convicção que nós vamos fazer. E mais, vamos zerar as filas de espera por cirurgias e exames fazendo parcerias publico-privadas.

Outras propostas

Saúde
Concluir o hospital municipal e transforma-lo numa referência regional com atendimento de média e alta complexidade.

Educação 
Reduzir a taxa de analfabetos absolutos e analfabetos funcionais.

Agricultura 
Ampliação do fornecimento gratuito de calcário a adubo para pequenos produtores rurais.

Cidadania
Criação da Secretaria da Cidadania e Defesa Social e da Guarda Municipal.

Desenvolvimento urbano.
Asfaltamento e contorno da estrada do índio que liga a PR-082 à PR-323 retirando o tráfego pesado da Avenida Minas  Gerais.

Cultura
Construção de um anfiteatro.

Esporte e lazer
Modernização dos complexos esportivos já existentes.

Fazenda
Desburocratização do sistema público, dando mais praticidade na concessão de alvarás e licenças.

Indústria e comércio
Criação do Centro de Evento Agromoda Park, com estrutura permanente para realização de shows e eventos de moda, eventos corporativos e festivais.

Obras e serviços públicos
Renovar e aperfeiçoar a frota de veículos escolares com veículos mais seguro e confortáveis.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *