PRE aperta fiscalização e apreensão de armas e drogas bate recorde

Da Redação

Em 2020, o trabalho da equipe da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), do posto localizado na PR-323, em Cianorte, gerou mais resultados positivos do que no ano anterior. Apenas em 2020, os patrulheiros apreenderam 1,09 tonelada de maconha, dois quilos de cocaína e 20 comprimidos de ecstasy. Já no ano anterior foram 161,3 quilos de maconha.

Além disso, conforme o comandante do posto, o subtenente Sergio Dinardi, foram apreendidos, em 2020, 30 armas, entre elas 20 fuzis, enquanto que em 2019 foram seis armas.

O número de veículos fiscalizados também foi maior no ano passado, foram 9,8 mil, destes 25 registraram apreensão de mercadorias. Já em 2019, foram 8,9 mil fiscalizados e 13 com contrabando.

De acordo com o comandante do posto, subtenente Antônio Sérgio Dinardi, o trabalho de fiscalização da PRE tem sido mais efetivo no último ano. No último ano, uma equipe da Rotam da PRE, da central localizada em Maringá, foi desativada e uma veio para o posto de Cianorte. “A maior parte das apreensões foi feita por essa equipe, que já tinha costume em ficar em deslocamento”, esclareceu. 

Trabalho

Durante o dia a dia, a equipe da PRE não tem costume de trabalhar com auxílio de informações de terceiros, apenas quando há uma denúncia. “Não trabalhamos com informações, só quando tem alguma denúncia de veículo suspeito, mas dificilmente. Além disso, geralmente, trabalhamos com duas viaturas, uma em ponto fixo, por questão de uma hora, e outra em patrulhamento constante”, explicaSérgio Dinardi.

Segundo ele, é comum que pessoas que fazem contrabando, porte de armas, descaminho, trabalhem com sistema de batedor. “Geralmente, vai um ou dois carros na frente. Eles verificam onde tem pontos de fiscalização. Se eles veem alguma viatura parada na rodovia, já sinalizam para que o carro use algum desvio”, disse. Por isso, a importância do patrulhamento constante, para encontrar esse tipo de atitude. “Se a gente trabalhar muito tempo com a viatura parada, não temos êxito nas abordagens”, acrescentou o subtenente.

Para realizar a abordagem de algum veículo, a equipe policial fica atenta a alguns sinais, como tamanho do carro, número de passageiros e placas.

“Não conseguimos abordar todos que passam, mas normalmente identificamos alguns. Normalmente, eles usam uns veículos maiores, placas de outra região”, disse o Dinardi.

Os trechos em que a equipe fica mais atenta são os que passam por Tuneiras de Oeste, conhecida rota de contrabandistas do Paraguai.

A PRE conta com um efetivo de 17 homens divididos em três grupos, parte fica em patrulhamento, outra com o serviço de radar e a terceira em ponto fixo, por cerca de uma hora.

O posto da PRE da PR-323 é responsável pela fiscalização de 202 quilômetros de rodovias que cortam a região, as rodovias PR-323, desde o Rio Ivaí até o Trevo de Mariluz; PR-082, trecho entre Terra Boa e Rondon; PR-567 até São Lourenço; PR-479 que vai para São Manoel do Paraná; PR-498 que vai do Rio Ivaí até a PR-082 em Japurá; PR-558 de Terra Boa ao entroncamento da PR-323 via Malú.

Número de acidentes e mortes cai em  2020

A equipe do Posto da PRE, localizado na PR-323, registrou queda de 53,13% no número de acidentes entre 2020 e 2019. Além disso, ocorreu uma queda de 11,76% no número de mortes.

Em 2020, os patrulheiros registraram 105 acidentes com 15 mortes e 116 feridos.  No ano anterior, foram 224 acidentes com 17 mortes e195 feridos.

De acordo com o comandante do posto, o subtenente Sergio Dinardi, dois fatores colaboraram com a queda dos números. “Além de ser um reflexo da pandemia, isso se deve também ao aumento da fiscalização. Tivemos mais viaturas em trabalho em 2020”, esclareceu. “Os acidentes chegam a ser mais violentos, mas os números reduziram”, acrescentou.

Em 2020, a PR-082 registrou um maior número de mortes, foram sete mortes. Na PR-323 foram três, na PR-498 e 558 foi uma morte em cada e na 567 foram três óbitos.  Já em 2019, o maior número de mortes ocorreu na 323; Foram nove óbitos, na 082 foram sete e na 498 foi um.

Apesar da PR-323 ser chamada de “rodovia da morte”, Dinardi acredita que a 082 traz mais riscos aos motoristas. “A 323 em relação a 082, tem o triplo de fluxo de veículo, mas levando em consideração o número de mortes, a 082 apresenta um número maior. Ela não tem acostamento, tem condições piores”, disse o comandante.

“Além disso, na 323 passam muitos profissionais do volante, como caminhoneiros e viajantes, que causam poucos acidentes. Mas na 082, os motoristas, que chamamos de ‘domingueiros’, são pessoas mais comuns, que saem para casa de familiares, vão em chacras, e voltam para casa alcoolizados”, esclareceu Dinardi;

Para o comandante, um dos trechos mais perigosos é a Curva da Bica na PR-082. “Inclusive, estamos avaliando a colocação de um redutor de velocidade. Tanto lá, como na uma curva próximo de São Lourenço”, contou o comandante.

Até o momento, em 2021, a PRE registrou três acidentes com dois feridos em janeiro e dois acidentes com dois feridos em fevereiro.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.