Desembargador revisa atividade jurisdicional dos magistrados em Cianorte

Da Redação

O desembargador corregedor João Augusto Gomes Anicetto e sua equipe de 14 pessoas, juízes auxiliares, assessores, chefe de gabinete e outros profissionais, revisam as atividades jurisdicionais dos magistrados e servidores do Fórum da Comarca de Cianorte. O objetivo da visita é para aperfeiçoar o trabalho, tornando-o mais efetivo e rápido. A revisão acontece a cada dois anos.

De acordo com o desembargador é feita uma revisão e avaliação no trabalho exercido no Fórum. “Fazemos uma avaliação, corrigimos eventuais desvios e sugerimos atalhos, ou seja, formas mais simples de se atingir o objetivo perseguido, de maneira que a prestação de serviço seja mais rápida e efetiva”, esclareceu.

A equipe faz uma pesquisa em todos os escritórios, tanto no foro judicial quanto no extrajudicial, “para que busquemos o aperfeiçoamento da atividade”, disse o desembargador.

Conforme Anicetto, a prestação de serviço local é satisfatória, visto que existem problemas com relação aos orçamentos. “O poder judiciário sempre tem suas dificuldades com relação às questões orçamentárias, mas isso a gente vê que é suplantado pela boa vontade, dinamismo, dedicação e criatividade dos nossos magistrados e servidores, assim a prestação judicial ainda continua bastante positiva, e satisfatória”, afirmou.

No final de semana, será feito um relatório da atividade dos últimos dois anos. “Queremos apresentar números e informações importantes e imprescindíveis para que o judiciário continue melhorando os trabalhos”, reforçou o desembargador.

Problemas

Para João Augusto Gomes Anicetto, com relação à infraestrutura, o Fórum de Cianorte ainda deixa a desejar. “Estive aqui na inauguração do antigo Fórum, que hoje está ultrapassado e deteriorado. Foi construído esse prédio aqui, que hoje já não comporta o espaço necessário para um atendimento mais adequado e produtivo”, disse.

Segundo o desembargador, o sistema judiciário tenta a locação de um imóvel próximo para que algumas atividades sejam deslocadas. “Assim podemos dar mais conforto e melhor atendimento a todos que batem a porta do judiciário”, explicou.

Outro problema mencionado pelo desembargador é com relação ao número de serventuários. “Precisamos contratar mais serventuários, escolarizar melhor os que estão aqui de maneira a prepara-los para uma facilitação nas dinâmicas dos processos. Entendemos que aqui o Fórum deve ser uma oficina ‘resolvedora’ de problemas, então para isso temos que estar sempre avançando e buscando aperfeiçoamento”.

“A sociedade é muito dinâmica e as comunidades crescem muito, então sempre temos carência de magistrados e servidores. Hoje o ideal serial Cianorte ser dotada de pelo menos mais uma vara civil, quem sabe uma vara criminal. Dessa forma, o número de servidores demandaria um aumento significativo”, acrescentou o desembargador.

Tempo de processos

Conforme Anicetto, cada processos tem suas características. “Na área criminal, por exemplo, demora certo tempo, na área civil dependendo da complexidade de cada caso demora ainda mais”, disse. Segundo ele, há ainda casos relacionados a questões familiares que muitas vezes são processos infindáveis.
“Apesar disso, acho que o poder judiciário do Paraná é um dos mais produtivos do Brasil. É um dos mais adequados tecnologicamente e o prazo médio de duração do processo na primeira instancia é de uns 36 meses na segunda instancia de 3 a 4 meses o processo tem seu julgamento”, finalizou.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *