Cianorte tem terceiro menor tempo para abertura de empresa do país

Da Redação

Cianorte é a terceira cidade do país com o menor tempo de abertura de empresas no terceiro quadrimestre de 2020. O município tem um tempo de 6 horas e 53 minutos e fica atrás de Santa Fé (SP), em primeiro lugar com um tempo de 3 horas e 24 minutos, e Sarandi (PR), com tempo de 5 horas e 21 minutos, conforme ranking Mapa de Empresas, feito pelo Ministério da Economia.

De acordo com a secretária municipal de Indústria, Comércio, Vestuário, Serviços e Turismo, Larissa Meneguello Biggi Polli, no começo de 2020, o Paraná e Cianorte estavam posições ruins no ranking, mas no terceiro quadrimestre a situação melhorou. O principal motivo para a redução do tempo de abertura de empresas é a digitalização da Junta Comercial do Paraná.

“A Junta passou por um processo de digitalização e isso ajudou muito a tornar mais eficiente esse processo de abertura de empresa. E, além disso, o trabalho da prefeitura e da Casa do Trabalhador também influenciou”, disse a secretária. “A Junta Comercial ter se tornado digital é muito importante, porque torna as coisas mais rápidas, muitas coisas são automáticas”, acrescentou.

Conforme destacou Larissa, dentre as cidades de todo o país e as maiores do estado, Cianorte conseguiu a terceira colocação. “Hoje nosso tempo abertura é muito baixo. E isso que no começo de 2020 a gente levava um dia e meio, a gente baixou muito isso”, afirmou. “Essas 6 horas 53 min é uma média ainda. Algumas empresas precisam de vistoria, mas tem pessoas que saem com a empresa aberta em minutos”, disse.

A secretaria ainda comentou sobre a desburocratização do município, além da lei de Liberdade Econômica. “Essa lei que foi sancionada há pouco tempo, também vai trazer mais benefícios e mais facilidade para abrir, tanto MEIs (Microempreendedor individual) quanto outros tipos de empresa”, esclareceu.

“As leis juntos à digitalização da Junta trazem uma agilidade muito grande. E é isso o que o empreendedor precisa: que a empresa dele seja aberta muito rápido e que as coisas funcionem”, reforçou a secretária.

Coordenador da Casa do Empreendedor, Wellington Canela, e a secretaria Larissa Polli
Foto: Renata Martins

Viabilidade

Além disso, Cianorte ficou em quarto lugar com relação ao tempo de viabilidade, que é um dos processos pelos quais as empresas precisam passar para serem abertas.

Segundo o coordenador da Casa do Empreendedor, Wellington Silva Canela, devido à digitalização dos documentos esse trabalho ficou mais dinâmico e rápido. “Com a questão da digitalização, a pessoa da entrada na Junta Comercial, entra no sistema Empresa Fácil e a gente já tem acesso às informações aqui. Os nossos fiscais têm acesso a isso e, automaticamente, já olha a atividade da empresa, o zoneamento e já consegue liberar a empresa. Sem ter a necessidade de ir ao local para fiscalizar”, explicou.

Casa do empreendedor

A intenção da nova administração é ampliar a Casa do Empreendedor para dar mais atendimento e unir mais serviços em um só local. “Hoje a emissão de notas ficais é feita na prefeitura quando o MEI não consegue, mas queremos trazer isso pra cá. Além disso, queremos trazer a Junta Comerciar, ter alguém da Secretaria de Meio Ambiente para fazer o  licenciamento. Tudo isso para que a pessoa saia da Casa com tudo resolvido”, contou a secretária.

 WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.