Santa Casa de Cianorte possui ala direcionada aos casos de Covid-19

Com o objetivo de diminuir a possibilidade de propagação e isolar os possíveis infectados com o coronavírus, a Santa Casa de Cianorte criou uma ala direcionada ao atendimento de pacientes suspeitos ou infectados pelo vírus.

Ao lado da entrada do pronto-socorro convencional, fica localizado a sala para casos da Covid-19. “Nós separamos uma ala apenas para coronavírus. Paralelo ao pronto-socorro, montamos um pequeno hospital”, afirmou o diretor institucional da Santa Casa, Gilmar Célio.

A área hospitalar direcionada aos casos de coronavírus, conta 19 leitos – 10 da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e nove leitos de enfermaria.

Segundo o diretor institucional do hospital, os leitos recebem uma média de dois pacientes por dia. “Nós temos recebido pacientes, mas ainda não são suficientes para lotar a ala. Temos uma constância, porém bem baixa por enquanto”, afirmou.

“Os atendimentos nos leitos da UTI estão baixos. Tivemos um paciente que faleceu no sábado (4) e outros três ou quatro casos que estiveram próximos de ir para a UTI, mas logo foram liberados”, contou Celio.

No momento, a Santa Casa não possui internações referentes ao coronavírus. Todos os pacientes estão em isolamento domiciliar.

O diretor institucional do hospital reforça que ao perceber algum sintoma do coronavírus é indicado que o paciente vá, primeiramente, ao Posto de Saúde. “Na suspeita da Covid-19, o paciente será orientado a ir para casa e ficar de quarentena. Já os casos em que ele esteja mais debilitado, ele será encaminhado para a Santa Casa, que vai refazer os exames necessários”, explicou.

Arrecadação

Conforme informou o diretor institucional da Santa Casa, Gilmar Célio, o hospital realiza uma campanha de arrecadação de máscaras, álcool em gel, alimentos e aventais. “Nós precisamos nos prevenir. Temos visto que alguns desses itens estão em falta no mundo”, alertou.

De acordo com Célio, atualmente o hospital conta com parte dos equipamentos de proteção individual (EPIs), mas que não se sabe até quando o estoque será suficiente. 

“Não sabemos o tanto que vamos precisar. A todo o momento estamos em busca, mas encontramos muita dificuldade para encontrar máscaras e aventais, que são os específicos para usarmos”, afirmou Célio.

Conforme afirmou o diretor, o hospital ainda precisa de alimentos para dar aos pacientes e funcionários, mas que é um gasto alto que precisa ser reduzido. “Precisamos economizar para comprar os equipamentos de proteção. Uma caixa de máscaras que era R$5,90 subiu até chegar a R$170”, ressaltou. “Por isso, pedimos alimentos, e até dinheiro na conta do banco. E, caso o pessoal tenha em estoque, máscaras e álcool em gel”, pediu o diretor.

Célio ainda contou que muitas pessoas trazem máscaras caseiras ao hospital. Estas serão direcionadas, futuramente, aos funcionários que não têm contato direto com os pacientes, como as equipes de manutenção e limpeza. 

As doações podem ser feitas pelo bando Sicredi (banco 748, Agência 0718, Conta 65.719-5) e pelo Sicoob (banco 756, Agência 4340, Conta 162166-1).  No hospital também existem caixas disponíveis para a entrega dos alimentos ou equipamentos de proteção.

O valor arrecadado será usado na compra de insumos. Dúvidas e outras informações podem ser direcionadas ao telefone (44) 99977-4487 ou para o e-mail [email protected]

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.