Venda de ovos de chocolate e peixes cai 50% em comparação com 2019

Devido à pandemia do coronavírus as lojas de chocolates e peixarias ficaram fechadas por mais de duas semanas. A situação fez com que clientes reduzissem suas compras, principalmente dos itens relacionados à Páscoa, como ovos de chocolate e peixes. Empresas do ramo apontam uma queda de 50% nas vendas desses produtos.

Para driblar a redução das vendas, lojas de chocolates recorrem a promoções, com descontos que chegam a 50% no preço dos produtos ou apelam para o sistema compre dois e leve três.

De acordo com a gerente da loja Cacau Show, Karen Beltrão, em comparação ao ano passado as vendas são 50% menores. “As vendas estão muito abaixo, tanto que tivemos mandar de volta mais de três cargas fechadas de caminhão, porque não íamos vender a mercadoria”, afirmou.

Conforme contou Karen, no ano passado, nesse período, a loja já tinha comprado ovos de cidades vizinhas para atender Cianorte e região.

“As vendas do ano passado foram absurdas. Nós temos a prática de ir às empresas, levamos os nossos produtos, fazemos esse atendimento fora, mas esse ano não foi possível. Muitas empresas fecharam, algumas tiveram grandes cortes, então não compraram”, relatou Karen.

Apesar da redução expressiva, o movimento foi melhor do que o esperado para a gerente se levado em conta toda a crise causada pela pandemia do coronavírus. “O pessoal pediu muitos ovos e chocolates pelo delivery, então já estávamos vendendo. A demanda está melhor do que a gente esperava. Alguns ovos até já esgotaram”, contou Karen.

Para que as vendas continuem e não fiquem produtos em estoque o estabelecimento colocou uma promoção que dá 50% de desconto no segundo ovo de Páscoa levado pelo cliente. “Além da promoção, parcelamos em seis vezes, aceitamos vale-alimentação e refeição. Tudo pra agradar o cliente”, afirmou a gerente.

Como forma organizar a venda nas lojas, a gerente contou que entram apenas três clientes por vez. De acordo com Karen, cada funcionário fica responsável por um cliente. Além disso, o estabelecimento montou uma mesa para atender seus clientes do lado de fora da loja. “Hoje – quarta-feira – eu coloquei uma mesa aqui fora para atender e até formamos uma fila. Uma pessoa organiza, para termos o espaçamento necessário, e atendemos dessa forma para agilizar e o pessoal não ficar exposto”, explicou Karen.

A loja ainda disponibiliza álcool em gel aos clientes, máscaras aos funcionários e uma limpeza diária pelo menos duas vezes ao dia.

Na loja Chocolate Brasil Cacau os clientes encontram promoções em todos os produtos de Páscoa. Conforme contou a funcionária temporária, Laisa Teodoro Brois, os clientes ao comprarem dois produtos, ele leva o terceiro.

A promoção é uma estratégia de aumentar as vendas da loja. “O fluxo de pessoas está começando aumentar, mas as vendas caíram pela metade. A procura ainda é pelos ovos mais baratos”, contou Laisa.

Conforme contou a funcionária, os estoques não serão vendidos completamente. “Acredito que vai ficar um pouco de mercadoria. Costumamos sempre fecha por alguns dias depois da Páscoa para dar uma limpada no estoque, mas esse ano não vamos fechar”, afirmou.

Segundo Laisa, o movimento é muito baixo e o que colabora com as compras são as promoções. “No ano passo, nos dias antes da Páscoa tínhamos fila entre a terça, quarta e quinta-feira. Ano passado duas pessoas compravam cinco ovos, neste ano uma compra no máximo dois. O que ajuda são as promoções, mas mesmo se não tivesse a promoção também ficaria mais em estoque”, relatou.

Além disso, de acordo com a funcionária, o que prejudicou a loja foram algumas encomendas que não chegaram. “Tínhamos encomendas de mais trufas e não vão chegar. Esses itens não vão chegar devido ao coronavírus, pois as entregas não estão sendo feitas. Ficamos prejudicados”, explicou.

Laisa ainda reforçou que a loja toma todos os cuidados necessários para o atendimento aos clientes. “Limpamos o ambiente todos os dias, temos álcool para os funcionários e clientes, higienizamos as mãos e a máquina de cartão o tempo todo”, concluiu.

Na Peixaria Chave de Outro a realidade é a mesma. Conforme relatou o proprietário do estabelecimento, Miguel Pereira, o movimento está muito lento, “todo mundo escondido” disse o proprietário.

De acordo com Pereira, durante os dias que antecederam a Páscoa de 2019, a peixaria recebia cerca de 80 a 100 clientes por dia. “Era a época em que mais vendia, não tínhamos medo de pagar boleto, agora começamos a ter medo. Estou preocupado já”, ressaltou o proprietário.

Devido a pandemia, Pereira disse que a média de compradores chegou até 10 por dia nos primeiros dias. Durante a semana de Páscoa, o movimento chegou a 40 pessoas, 50% a menos do que no ano anterior. “Hoje – terça-feira – vieram cerca de 40 pessoas. Essa semana aumentou um pouco, mas o normal é de 80 a 100 clientes”, contou.

Segundo o proprietário da peixaria, os preços dos peixes neste ano está abaixo da média e a partir de sexta-feira, 10, os valores devem reduzir ainda mais. “Os preços caíram muito do ano passado para cá. Um salmão que antes custava R$ 89,90 o quilo hoje está a R$ 65,00. Além disso, muita coisa não deve vender, tenho cinco freezers lotados. Por isso, vamos acabar vendendo para restaurantes, antes que sobrem peixes e fiquemos com algum problema”, concluiu.

Supermercado registram movimento satisfatório

De acordo com o gerente do Paraná Supermercados, Rodrigo Nepomuceno, o movimento do estabelecimento é considerado bom. “Mesmo antes da abertura do comércio os ovos de chocolate já foram vendidos em sua grande maioria. A venda dos ovos foi antecipada. Tínhamos quatro ilhas e dois módulos de madeira com os produtos. E hoje temos apenas um expositor com os ovos”, afirmou. “Nessa época no ano passado, ainda tinham muitos ovos expostos e neste ano as prateleiras estão mais vazias. O pessoal adiantou aas compras”, completou gerente.

Conforme explicou o gerente, algumas indústrias, com medo de parte da produção ficar em estoque venderam ovos de Páscoa a preço de custo a alguns mercados. “O pessoal levou tudo. Ovos que custavam R$ 89,99 foram para R$ 59,99”, revelou. O preço dos ovos varia de R$ 19,99 a R$ 89,99.

Além disso, as vendas de peixe também estão em alta no mercado. “Em um dia vendemos cerca de 80 quilos de bacalhau. Os congelados vendem durante todo ano, mas o crescimento nessa semana é nítido. Tem muita oferta, e preços entre R$ 6,99 a R$ 69,99”, ressaltou Nepomuceno.

Para o gerente do Supermercado Planalto, Wilson Aparecido Jacinto, o movimento ainda está lento, mas o estabelecimento aguarda clientes entre quinta, 9, e sábado, 11. “Com o comércio fechado a procura era baixa, o pessoal ainda tinha medo em comprar e de gastar na verdade. Mas com o decorrer da semana, esperamos um pico de vendas”, contou.

De acordo com o gerente, a diferença com relação as vendas é expressiva. “No ano passado, nessa época, já tínhamos vendido praticamente tudo, mas neste ano a pandemia prejudicou muito a venda”, explicou.

Para evitar que sobrem alguns produtos, o gerente afirma que nos próximos dias o mercado irá organizar uma promoção para “movimentar as vendas”.

Em alguns supermercados de Cianorte, ovos de chocolate já se esgotaram nas gôndolas e prateleiras
Foto: Renata Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.