Tradução acadêmica: Porque pagar mais barato pode não ser o melhor para você

Ao elaborar um artigo para submissão em periódicos acadêmicos uma das primeiras etapas que os pesquisadores se deparam é a de traduzir o texto que será publicado. Caso o autor não tenha domínio e fluência do idioma para o qual se está traduzindo ou versando a publicação, é bem provável  que seja necessário contratar um serviço ou profissional especializado em tradução acadêmica. E a maioria dos pesquisadores se questionam sobre a taxa de tradução acadêmica.

Há muitas maneiras de traduzir seus textos, e em breves buscas é possível achar inúmeros profissionais e empresas como a Protranslate que prestam serviços de tradução. Embora o SINTRA (Sindicato Nacional dos Tradutores) ofereça uma tabela de referência de valores a serem cobrados, ainda é possível ver que há uma enorme variação entre os preços praticados no mercado.

O custo médio sugerido pela SINTRA para versão (quando se traduz o texto do português para um idioma estrangeiro) de publicações acadêmicas, é de R$0,50 por palavra. Ainda assim, é possível encontrar valores muito abaixo. Embora o baixo custo possa ser bastante atrativo, alguns pontos devem ser levados em consideração para não arcar com uma falsa economia. 

O primeiro fator é a qualidade do serviço prestado. Uma tradução ou versão acadêmica exige uma dupla, ou até mesmo tripla especialização. O profissional deve ter amplo conhecimento dos idiomas trabalhados, e da gramática e ortografia e pontuação aplicadas a trabalhos do gênero, que exigem uma formalidade que ultrapassa o ensino intermediário dos idiomas que normalmente aprendemos em cursos. Em resumo, a escrita deve ser perfeita. Além disso, é desejável formação nas áreas de conhecimento da pesquisa apresentada para que termos, vocábulos e expressões não percam seus significados ao serem transladados. Exemplo: para traduzir artigos sobre economia, é necessário um conhecimento razoável dos termos apresentados. 

A maioria das empresas especializadas em tradução conta com o serviço de revisores que atestam a qualidade do serviço executado e realizam uma formatação do texto nas normas solicitadas pelos periódicos de publicação.

A qualidade do serviço não é a única questão que deve ser levada em consideração quando buscamos traduzir um trabalho acadêmico. O tempo de execução do serviço também deve ser planejado pois não há nada mais frustrante do que contar com um profissional que pode não respeitar o seu prazo de entrega. Para agilizar os serviços de tradução preservando a qualidade, a maioria das empresas de qualidade no mercado contam com softwares e programas pagos que auxiliem tanto nesta etapa de formatação quanto na verificação e elaboração de glossários técnicos que irão enriquecer a sua pesquisa.

Considerando todos estes pontos fica um pouco mais simples de entender todas as etapas de elaboração de tradução, e que vale a pena reconsiderar o investimento em um bom serviço.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.