Comerciantes mantêm otimismo mesmo com previsão de queda nas vendas no Dia dos Pais

Os comerciantes de Cianorte estão otimistas com as vendas para o Dia dos Pais mesmo com uma previsão de queda de até 15 % nas vendas para o começo de agosto se comparadas com o resultado apresentado no ano passado. O Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Cianorte (Sincovarte) apesar da crise estima uma queda nas vendas para uma das melhores datas do ano para o comércio em geral. A queda se deve à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o presidente do Sincovarte e proprietário da Livraria e Papelaria Kometa, Sergio Antônio Urbano, a maior parte dos comerciantes está otimista com a data, mas ainda há alguns que desacreditam. “Existem alguns que estão achando que não vai mudar em nada, que vai ter queda, mas a maioria está com expectativa de bom movimento. Há uma expectativa de queda de vendas de 10 a 15%”, afirmou.

Segundo Urbano, alguns segmentos que não trabalham com presentes e o setor feminino ainda acreditam que a data não irá colaborar, mas que o horário estendido no funcionamento do comércio pode atrair mais clientes. “Vamos abrir ate às 17 horas, então vai ter uma ajuda. O pessoal está otimista para vender um pouco mais”, acrescentou.

A proprietária da loja A Brasileira, Clementina Lopes Gimenez Nabhan, acredita que a loja terá uma redução de 10 a 20% neste Dia dos Pais em comparação com o ano passado. “Mas, acho que pelo o que está se apresentando, vai ser um mês muito bom levando-se em conta que estamos no meio de uma crise”, disse.

Para Clementina, a população de Cianorte está animada e tem retomado às compras. “Acho que o povo está vendo que a pandemia está passando e que vamos ter que conviver com ela e tomar os cuidados, mas a vida continua e as compras também. O comércio tem que girar”, afirmou.

De acordo com Clementina, os clientes da loja normalmente gastam entre R$ 200 a R$ 400 em presentes para o Dia dos Pais, mas há produtos de todos os preços. “Temos preços até de R$39,90, uma grande variedade”, esclareceu.

Segundo a proprietária da A Brasileira, o início da pandemia trouxe muitos prejuízos e queda nas vendas. “Por muito tempo nossos clientes ficaram trancados em casa. E como a loja tem 67 anos, temos muitos clientes em idade de risco. Mas a gente então mandou roupas em condicional, conversou, mandou mensagens. As vendas aconteceram, não como antes, mas bem melhor do que em outra cidades”, acrescentou Clementina.

O pior mês da loja durante a pandemia chegou a apresentar uma redução de 45% nas vendas. “Agora está quase normal, ainda tem queda, mas temos uma queda suportável. Consigo pagar folhas de pagamento, impostos”, explicou. 

De acordo com a proprietária da loja Objeto Presentes, Raquel Rocato, o estabelecimento também teve uma queda expressiva de vendas durante a pandemia. A loja chegou a registrar uma redução de 50 a 70%.

Para Raquel, o movimento ainda segue baixo, mas fica estabilizado quando há datas comemorativas. “Eu ainda acho que está muito lento, mas como trabalhamos com essas datas dá uma camuflada nas quedas das vendas”, afirmou.

Segundo Raquel, as datas comemorativas costumam dar um fôlego a mais neste período de pandemia e não apresenta registro de queda de vendas.

“Essas datas comemorativas, como o Dia dos Pais, das mães, dos namorados, é muito bacana, pois todo mundo quer presentear a pessoa especial e querida. Então sempre movimenta as vendas”, esclareceu.

“Neste ano o dia das mães e dos namorados foi tão bom quanto no ano passado. Acreditamos que o dia dos pais vai seguir a mesma linha”, explicou a proprietária da loja de presentes.

Para a dona da loja, os produtos vendidos são mimos que agradam a pessoa querida durante a pandemia. “Nesse momento em que todos estão isolados, as pessoas querem lembrar alguém de que são especiais e nossos presentes levam muito essa ideia”, contou. Segundo Raquel, os presentes mais procurados para o Dia dos Pais variam de R$ 50 a R$ 100.

Consumidor

A principal intenção para o Dia dos Pais é estar presente, mas uma lembrança na data é sempre bem vinda. Como conta o professor de tênis, Lucas Dias, dar um presente mesmo que simbólico é importante. “Normalmente, os pais sempre nos agradam e nos acolhem. Então seria o mínimo que poderíamos fazer: agradá-los de alguma forma”, afirmou.

Segundo Dias, a ideia é comprar uma roupa para o seu pai e gastar um valor entre R$ 100 a R$ 200.

Para dentista, Ana Laura Grecco, o objetivo da data é fazer com que o seu pai se sinta especial e dar um presente é uma forma de demonstrar afeto. “É uma forma de reconhecer e demonstrar o amor por eles. Vou comprar um acessório de bicicleta, que ele anda muito, e aproveitar para fazer um pedal de Dia dos Pais”, contou. De acordo com Ana Laura, o preço médio para comprar o presente é de R$ 150.

Opções de presentes dos dias dos pais variam de R$ 39 a R$ 400. Foto: Renata Martins

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *