Cianorte fecha terceiro mês consecutivo com saldo negativo na geração de empregos

O saldo na geração de empregos em Cianorte ficou negativo pelo terceiro mês consecutivo. Conforme os dados estatísticos divulgados no fim da tarde desta segunda-feira, 29, pelo Ministério da Economia e pelo Novo Caged o quinto mês do ano fechou seu ciclo com menos 198 vagas de trabalho. O resultado não é tão desastroso quanto foi em abril, quando o saldo entre o número de admissões com carteira assinada e demissões ficou em menos 633.

Conforme dados do Novo Caged, no último mês, foram registradas 390 admissões contra 588 demissões, enquanto que no mês de abril foram confirmados 246 contratações e 879 desligamentos.

Em comparação com maio de 2019, ocorreram 247 contratações a mais em 2019. Porém, também houve 135 desligamentos a mais no ano passado. O quinto mês de 2019 registrou um saldo negativo de 86 vagas, com 637 admissões e 723 demissões.

No acumulado do ano, Cianorte apresentou um total de 3.562 admissões contra 3.935 demissões, ou seja, um saldo negativo de 373 vagas. Entre os cinco primeiros meses do ano passado, a Capital do Vestuário registrava um saldo positivo de 356 postos de trabalho – 4.308 contratações e 3.952 demissões.

Se o recorte for os três últimos meses, período da pandemia, a cidade perdeu nos últimos 90 dias 941 postos de trabalho com carteira assinada.

Região

O mês de maio foi complicado para, praticamente, todos os municípios da região. Apenas três cidades não apresentaram saldo negativo: Jussara (20), Tuneiras do Oeste (2) e Indianópolis que não teve registros e teve o saldo zero.

As demais cidades apresentaram saldo de empregos negativo: Cianorte (-198), Cidade Gaúcha (-14), Japurá (-35), Rondon (-1), São Manoel do Paraná (-4), São Tomé (-16), Tapejara (-70) e Terra Boa (-10).

Paraná

O Estado apresentou um saldo negativo de 23.856 postos de trabalho. Foram registradas 55.823 contratações e 79.679 demissões, uma variação de -0,91%.

Já no mês de abril, o Paraná havia registrado um saldo, também negativo, de 57.984.

País

As cinco regiões do país tiveram saldo negativo em maio. Proporcionalmente, o pior resultado foi registrado no Sul, com redução de -1,10%, percentual equivalente a -78.667 postos de trabalho. No Sudeste, o resultado ficou em -180.466 vagas com carteira assinada (-0,92%). Depois, na sequência, vem Nordeste (-50.272 postos, -0,82%); Norte (-10.151 postos, -0,58%) e Centro-Oeste (-12.580 postos, -0,39%).

Em maio, 26 Estados registraram resultado negativo e apenas um, o Acre, teve saldo positivo, de 130 postos. Os piores desempenhos foram em São Paulo (-103.985), Rio de Janeiro (-35.959), Minas Gerais (33.695 postos) e Rio Grande do Sul (-32.106 postos). O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada caiu de R$ 1.810,08, em abril, para R$ 1.731,33 em maio.

Entre os quatro principais grupamentos de atividades econômicas (indústria geral, construção, comércio e serviços) nenhum apresentou saldo positivo de contratações. O setor de serviços foi o que mais registrou demissões, 143.479, contra 305.898 contratações, um saldo negativo de 143.479.

O setor menos afetado foi o da construção com um saldo negativo de 18.758 (foram 101.883 admissões, contra 198.795 demissões).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *