Rainha da Paz se reinventou durante pandemia e atendeu mais de 850 famílias

Desde março, a pandemia de coronavírus está presente na vida de todos e mudou rotinas drasticamente. O que não foi diferente para a Associação Assistencial e Promocional Rainha da Paz. Conhecida pelo contato e apoio às crianças e famílias em vulnerabilidade social, a associação precisou se reinventar para conseguir arrecadar roupas, alimentos e continuar ajudando seus beneficiados. Durante o período de pandemia, de abril a julho, a entidade visitou e atendeu 874 famílias.

De acordo com o administrador da associação, Gabriel Estevo Faria no primeiro momento a Rainha da Paz precisou entender o que estava acontecendo e propor ações que não colocassem em risco colaboradores e assistidos. “Seguindo as normas propostas e regulamentadas nos decretos municipais, a entidade passou a realizar triagens para entender como estavam as famílias e quais eram suas necessidades. Depois disso, a associação iniciou o trabalho de tentar suprir as demandas das famílias, com alimentos, materiais de higiene pessoal, roupas e materiais pedagógicos”, explicou.

Uma das principais mudanças foi com relação às atividades coletivas desenvolvidas pela associação, pois estas tiveram que ser paralisadas. “As atividades desenvolvidas com as crianças e adolescentes através dos grupos de Serviço de Convivência e Fortalecimento de vínculos estão suspensas desde o dia 18 de março”, lamentou o administrador.

Para que pudessem continuar com o trabalho, foram realizadas capacitações online para os colaboradores. A partir desse momento, a associação, por meio do contato “boca a boca” e redes sociais, buscou doadores para arrecadar e suprir todas as necessidades das famílias, já que com a chegada da pandemia, “as arrecadações em valores, diminuíram bruscamente e também impossibilitou a realizações das promoções que eram o carro chefe para a manutenção da entidade”, explicou o administrador.

Mesmo com a pandemia do coronavírus, as arrecadações aumentaram durante os meses. “A associação buscou realizar mais contatos com possíveis doadores, na tentativa de atingir as metas necessárias para o atendimento da demanda”, disse Faria. E a atitude trouxe frutos positivos.

Devido ao período crítico, a associação ainda confeccionou máscaras para as famílias que necessitavam, colaborando com o combate e prevenção da doença.

Além disso, Segundo Faria, como forma de suprir a demanda e custear a manutenção da Rainha da Paz, foi realizada a Feijoada Beneficente, com entrega em drive thru e em setembro será realizado o almoço mineiro com entrega no mesmo molde.

Associação atendeu 874 durante o período de pandemia, até julho

As visitações, mesmo com a pandemia, não pararam, mas passaram por alterações. “Nas visitas domiciliares, as assistentes sociais não entram na residência, e estão respeitando o isolamento social e as normas estabelecidas, apenas realizam orientações no portão e já verificam a situação da família, sempre tomando os cuidados necessários”, explicou o administrador.

Durante o período de pandemia, de abril a julho, a entidade visitou e atendeu 874 famílias. Foram 173 em abril, 167 em maio, e em junho e julho foram 287 e 247 famílias, respectivamente.

Para manter os cuidados, a associação segue algumas medidas:

– Utilização de máscaras por todos os colaboradores;
– Orientação sobre a higiene correta das mãos, a necessidade de lavá-las frequentemente e de evitar contato com olhos, nariz e boca;
– Disponibilidade de álcool gel em diversos locais da entidade;
– Suspensão de visitas e atendimentos para inclusão de novos usuários;
– Medição diária da temperatura dos colaboradores da Instituição.

Durante as visitas, entidade segue protocolos da saúde. Foto: Divulgação Rainha da Paz

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.