Grupo Morena Rosa doa tecidos cortados para produção de máscaras

O Grupo Morena Rosa, em atitude solidária a Organizações Não Governamentais (ONGs) e entidades, cortou máscaras com os tecidos da empresa para doá-las a parceiros da cidade. Dessa forma, eles poderão confeccionar os itens de proteção e realizar suas ações solidárias. A atitude se deve à reabertura da empresa e a retomada da produção das roupas da marca, o que inviabiliza a produção das máscaras internamente. Cada entidade recebeu 500 moldes já cortados para a produção.

Foram destinadas peças de tecido para a ONG Ensina-me a Viver, que doou máscaras a caminhoneiros da região, disponibilizou as para pacientes oncológicos e ainda as trocarão por quilos de alimentos não perecíveis que serão doados em cestas básicas; e a ONG Amigos de Patas, que vende as máscaras e usa o valor arrecadado para auxiliar nos cuidados dos animais e nos projetos da instituição.

Além disso, os tecidos também foram doados ao Grupo Tutu da Alegria, que doará máscaras para as crianças assistidas pelo projeto; ao Cemic, que destinará a produção aos pais, alunos e funcionários do Centro de Educação; e a Universidade Estadual de Maringá, que dará as máscaras aos profissionais de saúde contratados para o projeto de extensão de prevenção ao coronavírus.

Ensina-me a Viver

A ONG Ensina-me a Viver realizou a entrega das máscaras produzidas com os tecidos da Morena Rosa para os caminhoneiros, na última sexta-feira, 24. De acordo com a presidente da entidade, Iraci de Sarges, a confecção foi feita gratuitamente pelas meninas que fazem parte da ONG e em seguida distribuídas gratuitamente para os motoristas.

Conforme Iraci, a entidade pruduziu 500 máscaras, 150 delas foram doadas aos caminhoneiros, parte será direcionada membros da ONG, pacientes oncológicos, e outras serão trocadas por meio das doações de alimentos. “Nós temos aproximadamente 100 membros, todos pacientes oncológicos, então parte da produção vai para eles, que são nossa prioridade. E vamos separar uma parte para quem quiser trocar por alimentos não perecíveis. A partir do dia 28 de abril, terça-feira, estaremos na ONG para receber e fazer essa troca”, explicou Iraci.

A troca dos alimentos por máscaras acontece entre os dias 28 a 30 de abril e entre 4 a 8 de março, das 9h30 às 18h30, na sede da ONG Ensina-me a Viver – Rua Orlando Brugin, 41. 

Amigos de Patas

Já a ONG Amigos de Patas produz as máscaras como forma de arrecadar dinheiro para pagar dívidas da instituição, comprar os alimentos dos animais, pagar funcionários e manter a sede. Devido à pandemia do coronavírus, o trabalho da ONG está parado o que inviabiliza a realização de eventos voltados para doações e arrecadação organizados pela instituição. A produção das máscaras foi uma maneira de driblar a situação.

De acordo com a presidente da ONG, Luzanira Mendes, a venda das máscaras produzidas já garantiu três meses de despesas da instituição pagos.

UEM vai distribuir produção através de projeto de extensão

De acordo com a diretora do campus da UEM de Cianorte, Anelise Guadagnin Dalberto, as máscaras produzidas com os 500 moldes cortados disponibilizados pelo grupo Morena Rosa serão destinados ao projeto de extensão de prevenção do coronavírus da universidade e também a população carente da cidade. Esses tecidos serão encaminhados para o laboratório de Goioerê para que sejam confeccionadas as máscaras. “A UEM ainda tenta incrementar as máscaras dos profissionais das unidades de saúde com o tecido TNT. Caso não possamos fazer isso, os hospitais deverão dar conta sozinhos. Todas as esferas estão se mobilizando”, esclareceu a diretora.

Conforme a diretora, o projeto de extensão conta com a contratação de profissionais de saúde – médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem – para trabalharem em três regionais de saúde, serão 20 novos profissionais para cada regional.

Em Cianorte, o projeto começa nesta segunda-feira, 27, e conta com 20 novos profissionais distribuídos em quatro equipes com um médico, dois enfermeiros e dois auxiliares de enfermagem.

Cada equipe ficará distribuída em um local, na 13ª Regional de Saúde, no Hospital Santa Casa, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e uma será itinerante, ficando à disposição dos municípios vizinhos.

O projeto contou com recursos na ordem de R$1 milhão, da Fundação Araucária, agência de fomento do Estado. Deste total, R$ 500 mil foram destinados a UEM de Cianorte para o pagamento dos profissionais.

Além disso, no campus de Cianorte, o Curso de Design e Moda já confeccionou cerca de 1.300 máscaras que foram destinadas à Santa Casa local, Instituto Bom Jesus, Recanto dos Velhinhos e Secretaria de Saúde de Cianorte e Umuarama, Hospital Municipal de Indianópolis, Rondon e Tapejara; a agentes de vigilância do Campus de Cianorte, médicos e enfermeiros da universidade.

O curso de Design e Moda do campus de Cianorte já confeccionou 1.300 máscaras para doação. Foto: Divulgação UEM
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *