Construção do Hospital Regional vai gerar 80 empregos diretos em Cianorte

As entrevistas, triagens e avaliações para contratar os funcionários do ramo da construção civil para as obras do novo Hospital Regional Clóvis Bongiorno começaram na última sexta-feira, 28, na Agência do Trabalhador, em Cianorte. Para a primeira etapa da obra será necessária a contratação de cerca de 80 funcionários diretos.

Conforme o sócio proprietário da Empresa B4 Construções Civis, que ganhou a licitação para a construção do hospital, e engenheiro, Rafael Boaretto, serão 80 novos funcionários diretos contratados além de diversos outros indiretos. “Queremos contratar aproximadamente 80 funcionários, que inclui desde apontador ao mestre de obra. Seria mais ou menos uns 20 pedreiros, 20 carpinteiros, 20 armadores e 20 serventes”, esclareceu. “Teremos os indiretos relacionados a outros serviços, mais uns 40, e se pensarmos nas lojas de materiais de construção estimamos mais o dobro”, acrescentou.

De acordo com Boaretto, serão diversos novos empregos. “Uma obra desse porte deve gerar muitos empregos diretos e indiretos”, disse o engenheiro.

Além disso, como contou o representante da construtora, quando as obras começam há sempre quem vá ao local da construção em busca de oportunidade. “É muito comum quando começamos a fechar a obra com tapume as pessoas irem ao local perguntar se tem emprego. Geralmente é assim que funciona: quando precisamos colocamos um aviso de que há vagas”, explicou.

Na sexta-feira, 28, Boaretto realizou cerca de 50 entrevistas, que devem continuar durante a semana. “Fizemos algumas entrevistas, provavelmente vamos contratar algumas pessoas já. Mas de início, tendo na faixa de 20 a 30 funcionários é bom. Primeiro temos o canteiro de obra, terraplanagem e depois começa a aumentar a quantidade funcionários”, afirmou.

Segundo o sócio proprietário da construtora, a equipe segue orientações da saúde devido ao novo coronavírus. “Temos que levar em contra a questão da idade, devido a Covid-19, não que deixamos de contratar, mas temos que ter cuidados. Infelizmente é nossa situação hoje”, reforçou.

A obra

A empresa B4 ficou responsável pela primeira etapa da construção. “Vamos fazer a parte cinza, terraplanagem, montagem de canteiro de obra, parte da infraestrutura, fundações, fechamento, estrutura metálica, basicamente essa parte. Além de algo de reboco e contra piso”, explicou o sócio proprietário da empresa, Rafael Boaretto.

“Nosso cronograma é de 12 meses com vigência de 18 meses. Isso devido às dificuldades com fornecedores e o momento difícil que passamos pela pandemia. A questão do tempo também interfere. Além dos critérios, e cuidados, e protocolos necessários, então diminui nossa produtividade”, explicou.

Para as etapas seguintes da obra, como acabamento, revestimento e instalações, será feita nova licitação.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *