Prefeitura volta a reforçar fiscalização para inibir aglomeração nos bares e nas ruas

Da Redação

Em uma coletiva de imprensa, realizada na manhã de hoje, 5, o atual secretário de Segurança Pública, tenente-coronel reformado da PM, Elias Ariel de Souza, em companhia da secretária de saúde Rebeca Galacci” informaram a volta da intensificação da fiscalização pelo Gabinete de Gerenciamento de Crise, com o objetivo de conter as aglomerações que estão acontecendo nos finais de semanas e após o horário de toque de recolher, de acordo com o último decreto.

“Desde que o decreto ficou mais flexível houve um aumento de aglomerações de jovens nas esquinas e em alguns estabelecimentos na área central de Cianorte, principalmente nas Avenidas Souza Naves, Santa Catarina e Goiás. Mesmo após o fechamento dos bares e casas noturnas, os jovens continuam reunidos nas calçadas, fazendo consumo de bebidas e narguilé, que é um instrumento de contaminação, com lei municipal especifica para isso”, contou o coronel.

De acordo com os agentes, no último fim de semana, foi possível identificar até 250 jovens aglomerados em apenas uma quadra da Avenida Goiás, o que dificultou o tráfego de veículos. “É intolerável, absurdo e irresponsável” reforçou Elias.

O Gabinete é uma instalação permanente, que teve início no mês de março, durante o decreto estadual, quando o número de casos de contaminados pelo Covid-19 disparou no município.

A parceria é formada com a 5º Companhia Independente da Polícia Militar em Cianorte, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, agentes de empresas de segurança privada, agentes da vigilância sanitária, e agora também com o Conselho Tutelar. O principal objetivo é coordenar as ações e esforços para a fiscalização dos abusos e desobediência das restrições de acordo com os decretos vigentes em Cianorte.

Nessa nova fase haverá o retorno das forças tarefas. Segundo o secretário, não haverá a divisão de grupos em diversos pontos, pois o foco é a área central da cidade. Haverá orientação à população e aplicações de multas, mediante a CPF, se for necessário. Assim como foi no início da segunda onda da pandemia.

“Consciência é até ingênuo dizer que a população não tem, diante de tudo que estamos vivendo. O apelo aqui hoje é que se tenha respeito à situação vivida, e que valorizem a gestão pública, os profissionais da saúde e até a zeladora que recolhe o lixo hospitalar, além dos profissionais que estão nos bares e que precisam que esses estabelecimentos permaneçam abertos. Diante de tantas notícias temos a consciência do que está acontecendo, o que precisa é ter respeito com a vida do outro”, citou Rebeca.

Segundo o coronel Elias de Souza, não está descartado a possibilidade de um decreto mais rígido, caso os números referente a Covid-19 engrossem as estatísticas de novos casos e mortes.

“Efeitos futuros no retrocesso da economia, e o prejuízo econômico pode ser responsabilidade desse comportamento, vamos através da lei e fiscalização orientar esses jovens. O pedido dessas ações é também dos comerciantes que estão preocupados, assim como os artistas e garçons, pois sabem que esse comportamento pode voltar a fechar o comércio” finalizou o coronel.

Gabinete faz 65 notificações em um fim de semana

Em apenas um fim de semana de atuação e fiscalização do Gabinete de Crise, foram mais de 65 pessoas notificadas e um estabelecimento autuado por funcionar após o horário permitido. Fiscalização foi realizada pelos fiscais sanitários, com o apoio da Polícia Militar.
Pedestres também foram autuados através do CPF por sair na rua sem mascará. Os recursos gerados através dessas multas devem ser revertidos a compras de materiais destinados ao combate e prevenção ao coronavírus, como máscaras e materiais de limpeza.
A fiscalização mais intensa aconteceu durante o decreto estadual seguido pela Prefeitura de Cianorte, entre os dias 02 até o dia 23 de março, dias com medidas mais restritivas para o controle da pandemia.
O secretário citou a importância das denúncias realizadas, e ressaltou que
no momento, já é de conhecimento das equipes os locais alvos de aglomerações.
A equipe pede para aqueles que fizeram as denúncias que usem o aplicativo de Whatsapp para que fique registrado o processo, com fotos e endereços, e garante que o denunciante não será identificado. O pedido a população é de que tenham o cuidado com a responsabilidade sobre a denúncia, para que a as equipes não se desloquem em locais desnecessários, onde não há a o descumprimento do decreto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *