Após quatro anos foragido, suspeito de matar Leonardo Zanetti está preso

Da Redação

Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), de São Paulo, cumpriram na tarde de quinta-feira, 03, o mandato de prisão contra Wellington Oliveira dos Santos, 26 anos. O detido é o principal suspeito de matar o jovem Leonardo Zanetti de Melo, na época com 20 anos, durante um roubo em Cianorte, no ano de 2017. A prisão aconteceu em uma rua de Peruíbe, cidade no litoral paulista.

Wellington foi abordado em via pública, segundo os policiais civis, as investigações já indicavam o local onde o suspeito estava escondido e as características físicas dele. Durante a abordagem, o suspeito apresentou nervosismo e em conversa confessou que era procurado pela Justiça. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória 2 – Paulo Gilberto de Araújo de Chácara Belém, em São Paulo, onde deve continuar preso.

Neguinho Mauá, como era conhecido, foi o último envolvido a ser detido. Cinco pessoas participaram do crime de latrocínio e ocultação de cadáver, quatro deles foram presos dias depois do crime, e Mauá estava foragido desde então.

A mãe do músico Leonardo, não acompanhou a evolução do caso nos últimos anos, mas foi avisada pelo delegado da 21º Subdivisão da Polícia Civil em Cianorte, Carlos Gabriel Stecca, sobre a prisão do suspeito.

“A família não quis acompanhar o caso, mas se sente tranquilizada, pelo menos a justiça será feita. Essa dor e essa falta que ele faz nunca vão passar, e cada dia que passa a saudade aumenta, mas ainda acreditamos na Justiça”, contou a Marilza Zanetti, mãe de Leonardo.

Três dos outros detidos que confessaram o crime, permanecem presos em regime fechado. Lucas Lopes Oliveira, de 22 anos; Kleber Antônio Muratori, de 37 anos; e Romário Celestino dos Santos, de 24 anos, estão presos na Penitenciaria Estadual de Cruzeiro do Oeste.

A quarta envolvida no crime, Natália Santos da Silva, de 29 anos, está em prisão domiciliar em Cianorte.

Todos esperam por julgamento e respondem por latrocínio e ocultação de cadáver. Se condenados, a pena pode ser de 20 a 35 anos de reclusão.

ENTENDA O CASO

Leonardo desapareceu na noite de 13 de fevereiro de 2017, e o corpo foi encontrado no dia 15, em um Rio próximo a Cianorte. O veículo roubado, um Fiat Strada, foi localizado no dia 19, em meio a um canavial na Estrada São Januário, zona rural da cidade.

O primeiro suspeito preso foi Lucas, que em depoimento disse que o “Neguinho Mauá” o chamou para praticar um roubo, pois precisava de dinheiro.

De acordo com depoimentos e informações do processo judicial, Leonardo Zanetti foi abordado pelo grupo na Avenida América, zona 1 da cidade. Welington dos Santos que estaria com uma espingarda, e Romário com um simulacro de pistola desceram do veículo Fiat/ Uno, com a companhia de Lucas, e abordaram a vítima que foi colocada no banco traseiro do carro. Kleber e Natália seguiram com o veículo Uno, enquanto os restantes conduziam o veículo de Leonardo.

Welington, Lucas, e Romário levaram a vítima até uma mata na Estrada Água Branca, e por receio de serem reconhecidos decidiram matar a vítima no local. Leonardo foi brutalmente espancado por Welington, que usou o cabo da espingarda para efetuar os golpes, principalmente na região da cabeça. Após a morte, o corpo da vítima foi escondido próximo ao rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *