Cidades

Lixo descartado incorretamente incomoda moradores da zona rural

Lixo que ocupa lixeiras do interior é depositado, na maioria das vezes, pela população da área urbana
Descarte inadequado de lixos na zona rural de Cianorte está incomodando os moradores (Foto: Martins Neto / Tribuna de Cianorte )

Latas, garrafas de plástico e vidro, embalagens de marmitas, roupas, móveis, pneus, carcaças de eletrônicos, restos de comida e mau cheiro. A falta de disciplina humana tem gerado uma grande quantidade de lixo aos arredores das lixeiras e está tirando o sossego dos moradores da Zona Rural de Cianorte. Em alguns casos, é possível observar, inclusive, o descarte incorreto de lixo por parte de empresas.

“Algumas pessoas da cidade têm descartado lixo em praticamente todas as lixeiras. Descarte de facção, sacos de roupas e retalhos, sacolas de marmitex. Não é a primeira vez que nós vemos isso. Já vieram descartar até ossada de boi. Infelizmente eles não estão destinando o lixo corretamente e estão descartando aqui na área rural” denuncia a moradora Jordana Rosa à reportagem da TRIBUNA DE CIANORTE.

Ao todo, o município conta com 22 “lixeiras rurais” espalhadas em pontos específicos. No entanto, boa parte do que é depositado nesses recipientes saem da área urbana. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Guilherme Comar Schulz, diversas ações já foram promovidas com o objetivo de minimizar a indisciplina da população, mas os erros continuam acontecendo com frequência.

“Essas lixeiras são destinadas às pessoas que moram na zona rural, mas acontece que o pessoal está saindo da cidade para levar lixo nessas áreas. É um tema que debatemos toda hora. Já colocamos placas, fizemos reportagens orientando sobre o descarte de lixos, mas infelizmente as pessoas utilizam as lixeiras de maneira incorreta. A Secretaria de Meio Ambiente licitou o caminhão de lixo novo e estamos fazendo lixeiras novas. O objetivo é organizar, pois já tentamos convencer as pessoas a pararem com esta prática, mas não resolveu. Tentamos de tudo”, explica o secretário.

Além das irregularidades na hora de descartar o lixo, existe outro problema que potencializa ainda mais a sujeira nos locais: as pessoas que reviram o lixo atrás de recicláveis.

“Além dessas pessoas que saem da cidade para depositar lixo na zona rural, outras pessoas também vão para vasculhar esse lixo atrás de reciclados e coisa de valor. Ou seja, vira uma bagunça total” , diz Schulz.

A Secretaria de Meio Ambiente conta com uma equipe que realiza a coleta diariamente em todos os pontos. A demanda aumenta consideravelmente nas segundas e terças-feiras, por conta do fim de semana.

Foto: Martins Neto / Tribuna de Cianorte

CONSEQUÊNCIAS E RISCOS À SAÚDE

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS objetiva a organização nacional do descarte do lixo e exige transparência em todos os setores a respeito dos métodos quais são descartados os resíduos.

O descarte irregular de lixo e entulhos é considerado crime ambiental que dá multa e detenção para quem for pego em flagrante, considerando a gravidade do fato, a reincidência do infrator e sua situação econômica. Se for identificado que o infrator é pessoa física, ele responderá pelo próprio ato. Caso o infrator esteja a serviço de uma empresa, ela será notificada e responderá pelo crime.

De acordo com o Decreto 6.514/08, que regulamenta a lei de crimes ambientais, quem causar poluição que possa resultar em danos à saúde humana ou ao meio ambiente, inclusive a disposição inadequada dos resíduos sólidos, estará sujeito à multa de R$ 5 mil a R$ 50 mi.

“Quando nós identificamos quem está jogando, fazemos um boletim de ocorrência na Polícia Ambiental ou encaminhamos direto para o Ministério Público para tomarem as providências”, explicou o secretario.

O descarte inadequado de lixo prejudica a qualidade de vida da população que habita a cidade: os resíduos contaminam o solo e a água, favorecem a proliferação de mosquitos, ratos, escorpiões, entre outros insetos e animais peçonhentos.