Cidades

Governo recebe 14 propostas para duplicação da rodovia PR-323

Descontos oferecidos pelas empresas passam de 25%; vencedora será divulgada neste semestre
["Popula\u00e7\u00e3o do Noroeste espera por uma solu\u00e7\u00e3o para a PR-323, conhecida popularmente como Rodovia da Morte "] (Foto: DIVULGAÇÃO SEIL / JORGEWOLL)

Os envelopes com as propostas de preços para a execução das obras de duplicação de 20,7 quilômetros da PR-323, entre Paiçandu e Doutor Camargo, foram abertos na segunda-feira (25) pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). Quatorze empresas protocolaram propostas de preços com valor máximo de R$ 100 milhões. O menor valor foi oferecido pela Contern – Construções e Comércio, de São Paulo-SP, que orçou as obras em R$ 72.296.922,87.

Com a publicação da classificação das propostas de preços, é aberto prazo legal de cinco dias para eventuais recursos administrativos. Se houver contestações, há mais cinco dias para apresentação das contrarrazões. Esgotados os possíveis recursos, serão abertos os documentos de habilitação, quando a comissão de licitação verifica se os requisitos do edital foram atendidos.

Segundo o DER-PR, a expectativa é anunciar a vencedora da licitação ainda no segundo semestre deste ano e a previsão é de que os trabalhos sejam concluídos dentro de dois anos após a emissão da ordem de serviço.

Para o coordenador da Comissão em prol pela duplicação da PR-323 em Cianorte, Rubens Pereira de Carvalho, a licitação não representa garantia das obras. “Nós estamos recebendo menos de 10% do solicitado em um momento em que não sabemos até onde é possível confiar nas pessoas públicas. Estamos nessa há praticamente oito anos, em uma trajetória de promessas não cumpridas. Sabemos que a licitação pode ser questionada judicialmente e as obras propriamente ditas ainda podem demorar”.

CRONOGRAMA

Em 2018, o Governo do Estado planeja investir mais de R$ 240 milhões em obras e projetos para os 216 quilômetros entre Paiçandu e Francisco Alves. Além dos quatro lotes de obras de duplicação, estão programados editais para contratação de mais dois projetos de duplicação, além de estudos de viabilidade, terceiras faixas, marginais, ponte e viaduto.

“Se percebêssemos firmeza para confiar que depois destes 20 quilômetros seriam feitos outros 20 e assim sucessivamente tudo bem, mas não vemos isso. O deputado Fernando Scanavaca é o único que aceitou ajudar a Comissão e tem acompanhado de perto o andamento dos processos. Não vemos esforço de outros parlamentares”, afirmou Carvalho.

RECUPERAÇÃO

A PR-323 é considerada uma das rodovias mais importantes do Paraná e faz a principal ligação entre as regiões Norte e Noroeste do estado. A estrada tem pista simples, poucas áreas de ultrapassagem e acessos complicados em trechos urbanos, fatores que resultam em um alto número de acidentes fatais.

O trecho entre Paiçandu e Cianorte está recebendo obras de recuperação emergencial desde abril.  Segundo o DER-PR, a empresa segue o cronograma pré-estabelecido no projeto e a quantidade de frentes de trabalho não interfere no prazo definido para conclusão da obra, que é de 12 meses. Até o início de junho, a empresa trabalhava com duas frentes de trabalho, uma em cada ponta do trecho, mas há algumas semanas voltou a concentrar os serviços apenas nas proximidades de Paiçandu e Água Boa.

O investimento previsto na conservação de 61,8 quilômetros da PR-323 é de R$ 27,2 milhões. Além da recuperação do pavimento, estão previstos trabalhos de drenagem e implantação de sinalização horizontal. (Com Agência Estadual)