Comerciantes acreditam na retomada das vendas durante o fim de ano

Depois de um ano turbulento nos setores do comércio devido à pandemia do novo coronavírus, os varejistas estão otimistas com relação às vendas de fim de ano. Enquanto alguns acreditam na estabilidade, outros apontam até crescimento nas vendas.

De acordo com o presidente Associação Comercial de Cianorte (ACIC), o empresário Nivaldo Rodrigues de Souza, as vendas devem seguir ritmo parecido com 2019. “Acreditamos que a venda deva se manter mais ou menos nos níveis do ano passado. Acho que não deva ter queda nas vendas, mas também não acho que haverá um incremento”, esclareceu o presidente.

Enquanto alguns setores foram prejudicados durante a pandemia, outros foram na contramão. “O turismo foi muito prejudicado neste período, e alguns tiveram incremento, como o da construção civil, que superou as expectativas. Alguns comércios tiveram declínios, mas acredito que para o final, todos estamos com uma expectativa muito positiva”, afirmou Souza.

De acordo com o subgerente da loja de calçados Seralle (participante da campanha de Natal da Acic), Vagner Fiori, as vendas neste fim de ano irão superar as vendas do ano passado. “A minha expectativa, do pessoal que trabalha aqui e de outros comerciantes é muito boa. Vivemos uma boa retomada em novembro, esperamos que ser ainda melhor até o final do mês, e dezembro tem tudo para ser um dos melhores meses dos últimos cinco anos”, afirmou.

Segundo Fiori, muitas pessoas deixaram de comprar durante o ano e agora a intenção de compra deve ser muito maior. “Muita gente não comprou e está esperando o fim de ano, onde toda a família acaba se reunindo”, disse.

Parte da equipe gestora da loja Zamber, Pedro Henrique Zamberlan, acredita que os meses de novembro e dezembro trarão um resultado positivo ao estabelecimento. “A expectativa é tão grande que até abrimos até uma nova loja. Acreditamos que vamos bater as vendas do fim do ano passado e até crescer um pouco”, afirmou.

Zamberlan ainda acredita que com as vendas de fim de ano será possível equilibrar os prejuízos causados pela pandemia.

A proprietária da loja Vila Boutique, Daiana de Souza Vila, também acredita no aumento das vendas. “Acredito que vai bater as vendas do ano passado. A gente vem crescendo desde o início da pandemia e tenho certeza que vamos bater”, afirmou.

Para continuar crescendo, conforme Daiana, a loja precisou se reinventar depois do fechamento do comércio no início da pandemia. “Entre março e abril, tivemos uma queda nas vendas, mas depois que reabrimos conseguimos nos erguer, mas claro, assim que abrimos, tivemos que fazer uns investimentos. Ficamos um período com site, mas agora vamos investir ainda mais nisso, investimos em fotos, coleções diferentes, estamos dando uma remodelada”, esclareceu a comerciante.

A venda online tem colaborado muito no crescimento da loja. “O site ajudou muito e é uma coisa que temos que pensar. É um grande facilitador”, reforçou.

Cuidados

A Acic, conforme o presidente Nivaldo Rodrigues de Souza, sempre reforça a necessidade da prevenção com relação ao coronavírus. “O cuidado é importante, o afastamento é importante, o isolamento – mesmo que não seja tão rigoroso quanto no começo – também é importante, mas, infelizmente, há pessoas que não acreditam muito nisso”, lamentou o presidente.

De acordo com Souza, é preciso que as pessoas lembrem sempre do uso da máscara, do álcool em gel e lembrem ainda que o vírus ainda circula. “Temos que nos mantermos alerta, pois a doença ainda está aí e ainda não tem cura ainda. Algumas pessoas parecem que estão de férias e perdem os cuidados”, disse. “A gente protege a gente, mas é preciso nos proteger pensando no outro também”, acrescentou.

Campanha Natal de Esperança tem objetivo de movimentar o mercado

Para fomentar e incentivar as vendas, a ACIC criou a campanha “Natal de Esperança”. “Essa campanha esta sendo diferenciada na verdade, pois muitas empesas e pessoas nem acreditavam que fosse possível uma campanha de Natal em um ano tão conturbado como este. Mas nós conversamos com a diretoria e achamos por bem fazermos essa campanha para motivar e dar um ânimo”, disse o Souza.

A campanha foi lançada no final de outubro e começou no dia 1° de novembro. “É uma campanha mais modesta devido à crise, tivemos uma redução de 30% dos custos neste ano. Mas a adesão foi muito boa”, disse o presidente. Ao todo são cerca de 120 comerciantes que participam da campanha, mas quem tiver interesse ainda pode participar.

Serão 11 prêmios sorteados nas vendas nos comércios participantes. “Temos um carro e 10 vales compras. E há também, para o vendedor das lojas, um bônus de R$ 300 caso o cupom sorteado tenha o seu nome identificado pelo cliente”, explicou. O sorteio dos prêmios acontece no dia 24 de dezembro.

Para participar, os clientes precisam ir nos comércios participantes e gastar pelo menos R$ 50, conforme regulamento. Porém, como disse o presidente da ACIC, cada comércio pode usar um critério próprio dependendo do seu fluxo.

Black Friday e redes sociais incentivam compras e aumentam lucros

De acordo com o presidente ACIC, Nivaldo Rodrigues de Souza, o comércio se prepara muito para a data do Black Friday, principalmente nas redes sociais. “O comércio conta com o incremento das redes sociais para divulgar produtos nessa época e as pessoas aproveitam esses dias. Algumas empresas até começam mais cedo, antes da data oficial e colocam alguns produtos em promoção”, disse Souza.

Devido à pandemia, empresas que nunca pensaram em colocar produtos na campanha estão atentas. “Estão se reinventando e se atualizando na marra, porque tem comércio que era relutante às mídias sociais, mas agora estão vendo que é necessário”, afirmou o presidente. 

Para Souza, a venda na Black Friday e incentivo das redes sociais incrementam as vendas, ainda mais com o movimento de “ficar em casa” que a sociedade vive. “Pessoas que nunca compraram nas redes sociais estão comprando. E empresas que nunca vendiam online, agora participam desse nicho”, esclareceu.

Na loja Seralle, a campanha começou mais cedo. “Nós começamos a campanha já para colocar na cabeça das pessoas que vamos ter descontos. Além disso, já temos algumas mercadorias com ótimos preços, queremos fidelizar nossos clientes”, afirmou o subgerente, Vagner Fiori.

A loja Vila Boutique além de investir em uma nova plataforma online de vendas, mais personalizada, para fomentar as vendas também trabalha com a Black Friday. A loja fará a ‘Vila Week’. “Teremos uma semana com peças específicas que entrarão para a promoção”, contou a proprietária da loja, de Souza Vila.

O professor de tênis, Lucas Dias, sempre opta por esperar a Black Friday para fazer uma compra mais cara. “Acredito que é uma ótima oportunidade para comprar certas coisas. E é um bom momento, pois bate com as datas festivas, como aniversários de familiares e amigos”, disse.

Lojas apostas nas vendas de fim de ano para retomar economia. Foto: Renata Martins

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.