Preço da terra na região varia de R$ 5,8 mil até R$ 69 mil por hectare

O preço médio das terras agrícolas por hectare no Paraná é baseado de acordo com as características no local, seja pela declividade da área ou por sua fertilidade. A avaliação local segue parâmetros técnicos que separam propriedades conforme a aptidão agrícola. O preço é comparado anualmente entre regiões e passa por pequenos ajustes. Em 2020, o preço médio das terras da região varia entre R$ 5,8 mil a R$ 69 mil (por hectare). Já em Cianorte, o valor do preço praticado por cada 10 mil metros quadrados de área agrícola pode chegar a custar R$ 43,6 mil, conforme levantamento feito pelo Departamento de Economia Rural (Deral).

Até 2016, as divisões de preços eram separadas em 12 áreas. Agora o preço se baseia em três grupos (A, B e C) com subdivisões, chegando a oito áreas. De acordo com o coordenador da Divisão de Estatística do Deral, Carlos Hugo Godinho, dentro da classe A estão as terras mecanizáveis, as mecanizadas e as passíveis de mecanização, ou seja, de uso agrícola intensivo. Na B, estão as terras que eram as não mecanizáveis antes, devido limitação de declividade, que eram aproveitadas pra pastejo ou florestais, as de uso silvipastoril. Já na C, a única que não possui subdivisões, é apenas para reservas legal, não usadas para fins agrícolas, apenas servidão florestal.

“As classes definem o potencial econômico. Sejam limitações, por declividade ou por fertilidade. Uma terra menos fértil não vai ter o mesmo valor do que a plana”, explicou.

Região

Na região, apenas cinco municípios são considerados classe A-I, ou seja, que possuem terras cultiváveis, aparentemente sem problemas de conservação: Japurá, Jussara, São Manoel do Paraná, São Tomé e Terra Boa. As demais se encaixam em outras classificações.

Terra Boa tem ás áreas mais valiosas da região, de acordo com estudo do Deral em 2020, com preços que atingem R$ 69 mil o hectares. O menor preço encontrado no município é de R$ 6,3 mil, nas terras do grupo C.

Para se ter uma base da valorização da terra no município, em 2019, o preço da terra nua da classe A, atingiu R$ 66,4, o mais alto entre as cidades da região.

Em Cianorte, o preço por hectare varia de R$ 5,8 mil a R$ 43,6 mil. Em 2019, os hectares chegaram a variar de a R$ 5,4 mil  a R$ 41,9 mil.

Classificação

Como explica o coordenador Carlos Godinho, caso uma propriedade seja plana e de boa fertilidade, ela é considerada inteiramente na classe A-I. Porém, se estiver à margem de um rio, mesmo senda toda plana, ela terá uma faixa de terra que não será usada para fins econômicos, e acaba sendo considerada como classe C. “Ainda temos outras classes intermediárias. Se a área pode ser utilizada para lavoura, outra parte para pasto e outra que não pode ser usada, a composição é baseada nesses preços”, disse.

Além disso, fatores como localização das terras também podem afetar o preço. “O produtor pode ter características que não são contempladas na terra e que podem trazer diferenças entre propriedades no mesmo município, por exemplo, dificuldades de acesso podem interferir no preço”, esclarece.

Conforme o coordenador, o fator relacionado à safra também interfere no preço da terra por hectare. “Se é de soja, por exemplo, a terra é vendida com uma entrada e mais quatro parcelas em sacas de soja. A soja passa a ser negociada como moeda”, explicou.

Segundo Godinho, hoje o valor da soja está alto, o que faz com que o preço da terra seja baseado neste valor, sendo condizente com o valor da terra nua.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *