Ministério Público do Trabalho entra com ação para suspensão de atividades no frigorífico da Coopavel

O Ministério Público do Trabalho no Município de Cascavel ajuizou, nesta sexta-feira (5), uma Ação Civil Pública contra a Cooperativa Agroindustrial de Cascavel (Coopavel) para promover o imediato afastamento de todos os empregados e trabalhadores terceirizados dos frigoríficos Friaves e Frisuínos, pelo período mínimo de 14 dias.

O pedido é motivado pelo alto número de casos de coronavírus entre os trabalhadores da Coopavel, que, de acordo com relatórios técnicos produzidos pelos órgãos de fiscalização, estão relacionados a falhas na adoção de procedimentos de prevenção à disseminação da doença.

A cooperativa é a segunda empresa do ramo frigorífico do Paraná com maior número de casos confirmados de covid-19, 118 no total. Segundo o Ministério Público do Trabalho, no Paraná, já são 477 casos confirmados e dois óbitos entre trabalhadores de frigoríficos.

Pedido de providências

No início da semana a AP-LER (Associação dos Portadores de Lesões por Esforços Repetitivos) protocolou pedido de providências junto ao COE – Centro de Operações de Emergências, em função da constatação de surtos de casos de coronavírus nos frigoríficos de Cascavel. Segundo o representante da entidade, Laerson Matias, levantamento feito na segunda-feira (1) junto à 10ª Regional de Saúde, apurou que nos frigoríficos havia mais inúmeros trabalhadores já confirmados com coronavírus, além de outras pessoas com quem tiveram contato. 

Na tarde desta sexta-feira, no entanto, a Secretaria Municipal de Saúde de Cascavel emitiu uma nota informando que por enquanto não há necessidade de medidas sanitárias de fechamento parcial ou total de frigoríficos no município. Segundo a nota, a decisão foi tomada tendo por base a análise dos cenários, dados e informações de inspeções in loco nos frigoríficos com mais de 500 trabalhadores. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *