Irmã Benigna morre aos 80 anos. Velório e sepultamento acontecem em Curitiba

A fundadora da Associação Assistencial e Promocional Rainha da Paz, Emida Nazari, conhecida como Irmã Benigna, faleceu na tarde desta terça-feira, 07, aos 80 anos. A religiosa estava em um quarto do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba, desde o dia 1°, após semanas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

Por conta dos cuidados com relação ao coronavírus, a irmã será velada e sepultada na em Curitiba, na Casa Provincial, com a presença de familiares e de outras religiosas. “Vai ser tudo do jeito que ela gostava, sem muito alarde”, contou o coordenador da Rainha da Paz, Gabriel Estevo Faria.

Conforme relatou o coordenador, a irmã estava no quarto e respirava com ajuda de aparelhos. Por volta das 17 horas, ocorreram algumas complicações na saúde da freira e ela não resistiu.

“Ela vai olhar por nós agora pertinho de Jesus. Acredito que agora, ao lado dele, ela vai nos abençoar muito, vai interceder por nós”, afirmou Faria.

Irmã Benigna foi internada na UTI do hospital no dia 10 de fevereiro depois de apresentar problemas pulmonares. Ela estava se recuperando de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que sofreu em julho de 2019, durante um jantar comemorativo da entidade.

Após o AVC, o primeiro atendimento à religiosa ocorreu em Maringá, onde ficou em observação. Depois de algum tempo, ela foi transferida para o Hospital da Providência em Apucarana. Quando sua saúde se estabilizou, a irmã foi levada para Curitiba, onde ficou junto às outras religiosas na Casa Provincial. A saúde da freira ficou fragilizada e ela foi encaminhada ao Hospital Nossa Senhora das Graças.

História de vida

Nascida em Erechim, no dia 02 de Outubro de 1939, e filha de pais agricultores, religiosos e humildes, Ermida sempre apresentou vocação para ajudar os próximos. Quando jovem, sempre apresentou um desejo de se tornar uma irmã religiosa.

Ermida ingressou no internado do Colégio das Irmãs em São Valentim. Sua família pagava seus estudos com produtos agrícolas.

Em seguida, ela foi para o noviciado das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, onde aprofundou sua preparação para servir Jesus Cristo. Em 1958, foi enviada como filha da caridade para o município de São Lourenço do oeste, em Santa Catarina, onde permaneceu por 17 anos.

Em 1975, foi transferida para Jacutinga (RS) e deu continuação a sua ação como evangelizadora e educadora. Trabalhou também em Campinas do Sul (RS), onde também se dedicou às pessoas carentes.

No ano 1991, a irmã chegou a Cianorte para trabalhar no Recanto dos Velhinhos, mas logo sentiu necessidade de criar um lar para os meninos e meninas que precisavam de ajuda e orientação. Com o apoio da comunidade e do grupo de carismáticos da Igreja Católica, em 1992 fundou a Rainha da Paz.

A associação que contou com apenas cinco meninos no início, já ajudou e auxiliou milhares de crianças carentes em situação de risco. E continua ajudando.

A religiosa conhecida como um exemplo de fé e dedicação também recebeu o título de Cidadã Honorária do Paraná, em 2012.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.