Feriado movimenta a rodoviária, mas medo e insegurança permanecem

Durante os feriados a movimentação na Rodoviária de Cianorte aumenta. As buscas por passagens para Maringá, Curitiba, São Paulo e outras regiões do Estado e até do país crescem. Porém, apesar do aumento do movimento, as pessoas ainda mantêm receio de viajar devido à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o encarregado da agência Expresso Maringá, João Antônio de Souza, nos feriados deste ano a rodoviária teve um movimento maior, mas fora das datas comemorativas os passageiros sumiram. “Em março ficamos um tempo fechados e voltamos a trabalhar em abril. Cada mês melhora um pouco, esse mês deve melhorar uns 15% o movimento. Mas ainda não chegamos aos 50% do movimento anterior”, disse.

Devido à baixa procura das passagens, ainda existem linhas e horários fechados para viagem. “A demanda não vale a pena. Tem vários horários que ainda não foram liberados, como por exemplo para Foz do Iguaçu. Antes eram dois ônibus pra Curitiba hoje só temos um. Para Umuarama e Maringá tínhamos uma média de 11 horários no dia e agora estamos com apenas quatro”, esclareceu Souza.

Para o funcionário da agência, neste ano não haverá o retorno normal das atividades na rodoviária. “Acredito que esse ano não volta ao normal, as pessoas ainda têm muito medo de viajar. A gente vê que só no começo de mês da uma melhorada, e quando tem um feriado”, afirmou.

De acordo com o funcionário de uma das empresas que operam na rodoviária, que não quis ser identificado, o movimento é apenas 80% do normal. “Está muito parado ainda pela pandemia. Só o feriado que ajuda a melhorar um pouco, mas ainda está muito ruim”, disse.

“No feriado, os ônibus ficaram bem cheios, precisamos até abrir um carro extra, mas não chega nem perto do movimento do ano passado”, esclareceu o funcionário.

Na Viação Real também ainda existem linhas fechadas, conforme o gerente da agência em Cianorte, Alexandre Mariano Ferreira. “As viagens interestaduais já voltaram ao normal, para Brasília, Santa Maria, Cruz Alta, Uberlândia, já estão 100% em funcionamento. Mas nas linhas intermunicipais, temos uns 70% de retorno dos horários”, explicou.

Segundo Ferreira, em comparação com o início da pandemia, já houve a retomada de 50 a 60% da movimentação.

Conforme o gerente, nos feriados, a movimentação aumenta consideravelmente. “Nosso movimento vai ser mesmo na sexta e no sábado. Já no começo do mês passado, tivemos um aumento uns 30%, devido ao feriado”, contou.

Para o Ferreira, o retorno total não acontecerá neste ano. “As pessoas ainda têm medo de viajar, muita gente vem procurar uma passagem, mas decide aguardar. A situação só vai voltar ao normal mesmo quando tivermos a vacina”, ressaltou.

De acordo com o gerente, desde o início da pandemia as agências de ônibus seguiram todas as medidas de segurança. “Só entra no ônibus com máscara, temos álcool em gel, e não tivemos nenhum registro de contaminação nos ônibus. As empresas estão cuidando muito. O pessoal tem tomado todo o cuidado necessário”, acrescentou.

A contadora cianortense, Helen Thomaz, mora em Curitiba há quatro anos e sempre vem a Capital do Vestuário de ônibus visitar seus familiares. Durante a pandemia, Helen já viajou três vezes e sempre busca uma alternativa mais segura na hora de encarar a estrada. “Na hora de viajar eu escolho um dia menos movimentado e uma companhia que esteja com menos poltronas vendidas”, contou.

“Medo de viajar eu não tenho, mas eu me previno com máscara e quando chego, antes de cumprimentar qualquer pessoa, eu tiro toda a roupa e tomo um banho”, finalizou a contadora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *