Consumo de energia em Cianorte aumenta 4% no terceiro trimestre

Cianorte teve um aumento considerável no consumo de energia no terceiro trimestre de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado. Houve um aumento de 4% no consumo de energia, no município nos meses de julho, agosto e setembro.

A alta foi puxada pela classe rural (21,5%), acompanhada de residências (7,5%) e indústrias (5,5%). O comércio segue com retração no consumo de energia elétrica (-8,9% no trimestre) e o poder público teve a redução mais expressiva, de -22,7%.

O desempenho da classe rural segue reflete os bons resultados do agronegócio paranaense nos últimos meses, apesar dos efeitos negativos da pandemia, que ainda causa transtornos em outros setores.

Segundo dados da Copel, Cianorte possui são 34.406 ligações, sendo 1.889 rurais. Destas, 28.111 são residências, 630 indústrias e 3.243 pontos comerciais.

No Paraná, o terceiro trimestre como um todo, na comparação com o mesmo período do ano passado, as classes industrial e comercial apresentaram queda no consumo de energia de 12,4% e de 16,1%, respectivamente. A classe rural apresentou alta de 2,9% entre julho e setembro, na comparação com 2019, e a classe residencial teve crescimento de 5,7% no consumo de energia na comparação dos períodos.

Setembro

Em setembro, comparando o mês de 2020 com o mesmo período em 2019, Cianorte registrou aumento nos setores residenciais de 9%, industrial 2,7% e rural 17,5%. Em contrapartida, no comércio o consumo decresceu -3,8%.

No Estado, O consumo de energia na área de concessão da Copel – que cobre 393 dos 399 municípios do Paraná – aumentou 0,3% em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. É o primeiro resultado positivo desde o início da pandemia em março.

Segundo a empresa, o desempenho trimestral é reflexo da pandemia do novo coronavírus, que desaqueceu a economia em 2020, mas a companhia considera que a atividade econômica já apresenta sinais de recuperação.

O resultado é o do chamado “mercado fio” da distribuidora da Copel, que inclui tanto a energia fornecida a consumidores cativos, atendidos pela Copel Distribuição, quanto consumidores livres – empresas com demanda maior que 500 kW que optam por deixar o mercado regulado para negociar a compra de energia no mercado livre.   

A classe comercial, na qual o volume de energia faturada até agosto estava equivalendo ao patamar de 2012, já demonstrou retomada no consumo. No entanto, este mercado ainda registrou queda de 4,8% na comparação com setembro de 2019, também em razão da pandemia.

A classe industrial registrou alta de 1% na comparação com o mesmo mês de 2019. Os destaques novamente ficam com as classes residencial e rural, que registraram crescimento de 6,8% e 5,2%, respectivamente. 

Segundo trimestre

Entre os meses de abril a junho, segundo trimestre de 2020, Cianorte também teve aumento no consumo de energia, de 2,1%. Enquanto o estado apresentou queda de 5,9%.

Neste período, o índice foi impulsionado, principalmente, pela indústria, que apresentou aumento no consumo de energia 9,6%, além do setor rural que também teve aumento de 5,3%. Já as residências e comércio tiveram redução no consumo, de -2,1% e de -4,8%, respectivamente.

A queda no Estado foi motivada pela redução da atividade econômica em diversas áreas, em função dos efeitos da pandemia.

Segundo o supervisor de Estudos de Mercado da Copel Distribuição, Rafael Arsie, a estimativa para o segundo semestre deste ano no estado é de uma retomada no consumo de energia.

WhatsApp Tribuna de Cianorte

Receba as principais notícias de Cianorte e região no seu WhatsApp, basta acessar o link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade da Tribuna de Cianorte.