Polícia

Vítima de latrocínio era servidor aposentado da Prefeitura de Japurá

Autor confesso do crime foi preso na manhã desta sexta-feira pela Polícia Civil
Homem de 23 anos confessou ser o autor do latrocínio que vitimou Euclides Paulino Mendes (Foto: Polícia Civil)

Menos de 24 horas depois de encontrar o corpo de Euclides Paulino Mendes, na tarde de quinta-feira, 7, em uma mata no Parque Cinturão Verde, a Polícia Civil de Cianorte elucidou o caso e prendeu o autor do crime. Um homem de 23 anos, morador de Cianorte, confessou ter matado Mendes para roubar seu carro. A vítima, de 65 anos, era moradora de Japurá, onde trabalhou na prefeitura local até se aposentar.

O corpo foi encontrado por guardas parque na tarde de quinta-feira, na Estrada Jambers, que fica nas proximidades da Trilha das Perobas. No local do crime, não havia qualquer documento de identificação ou itens pessoais, o que dificultou o trabalho da polícia naquele momento. No entanto, após receber denúncias anônimas, a Polícia Civil chegou ao autor do latrocínio. Ele foi preso em sua casa, no conjunto Aquiles Comar, na manhã desta sexta-feira, 8.

A polícia levou o autor até o local do crime, onde ele confirmou ter cometido o ato e que teria o feito sozinho. Ele afirmou ter matado Mendes após a vítima ter reagido ao assalto, realizado na noite de quarta-feira, 6, próximo ao Santuário Eucarístico, em Cianorte. Após assassinar a vítima, ele escondeu o corpo na mata. O carro do aposentado, um Fiat/Pálio, foi encontrado próximo à casa do autor do crime.

“Ele estava na posse das chaves e dos documentos do veículo, tudo indicando que ele iria negociá-lo. Dentro das apurações, ele teria se dirigido as cidades de Araruna e Campo Mourão, na tentativa de negociar este carro”, afirmou delegado chefe da 21ª Subdivisão Policial de Cianorte, Jonas do Amaral.

O homem havia sido preso no domingo, 3, suspeito de ter furtado madeiras em uma propriedade rural com a ajuda de outras três pessoas. Ele foi liberado na quarta-feira, quando usou drogas e praticou o crime.

“Ele é usuário de drogas e teria se drogado quando foi recém-liberto. Sob efeito da droga, ele teria dado voz de assalto à vítima em via pública. O aposentado percebeu o estado eufórico dele e fez menção em ajudá-lo a levar a alguma instituição que trate do caso. Ele seguiu com o autor no carro sentido Vidigal e, em determinado ponto, parou o veículo. O autor afirmou que teria sido ameaçado com uma faca, que não foi encontrada e que em razão disso acabou agredindo violentamente a vítima e também amarrando a própria camiseta do aposentado em seu pescoço, o que culminou com sua morte”, concluiu o delegado.

(Com informações do Dia a Dia Notícias Online)