Cidades

Soja pode render R$ 200 milhões a mais aos produtores do Noroeste

Dados da Seab consideram 58 municípios da região de Cianorte, Umuarama e Paranavaí
["Aumento de \u00e1rea e de produ\u00e7\u00e3o da soja vai gerar mais renda aos produtores "] (Foto: ESTADÃO CONTEÚDO)

A estimativa para a safra 2018/19 de soja nas regiões de Cianorte, Umuarama e Paranavaí é de 5,3 milhões de toneladas, o que indica um acréscimo de 156 mil toneladas. Com as atuais cotações, o aumento da produção pode render R$ 200 milhões aos produtores. Os dados foram divulgados pelo Núcleo Regional de Cianorte da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab).

O incremento na produção pode ser explicado pelo aumento de 3,3 ,mil hectares da área de plantio estimada, como explica o chefe do Núcleo Regional, Francisco Cascardo. “Essa área a mais vem de antigas plantações de cana-de-açúcar, encerradas com o fechamento de usinas na região, e de áreas de pastagens degradadas, cujos proprietários estão aderindo ao sistema de integração lavoura-pecuária-floresta”. Na safra passada, a área de plantio da soja foi de 215.078 hectares; a estimativa para a safra que começa este ano é de 218.386 hectares.

Segundo Cascardo, a produtividade das culturas é estimada com base na média das últimas duas safras anteriores, por isso os valores não são exatos e ainda podem mudar por influências climáticas e econômicas, por exemplo.

OUTRAS CULTURAS

A estimativa da Seab é de que a área de plantio do milho na região seja praticamente a mesma da safra anterior, de 2.188 hectares. A produção, considerada baixa pelos prejuízos causados pelo clima, deve aumentar em 500 toneladas, chegando a 9,5 mil toneladas no total.

Já a mandioca deve ter um incremento de 9% na área de plantio, atingindo 96 mil hectares das regionais. De acordo com Cascardo, os preços da última safra atraíram produtores a investirem na cultura. A produção estimada para a safra 2018/19 é de 2,4 milhões de toneladas e já corresponde a 65% do total do Paraná.