Estado

Só neste ano, policiais e bombeiros militares já salvaram a vida de 11 crianças engasgadas no Paraná

PM Sandra Schons,visita família de bebê que ajudou a salvar. Caso aconteceu na Grande Curitiba em 2017.

Só neste ano, 11 crianças paranaenses que sofreram engasgos foram salvas por policiais e bombeiros militares, em Curitiba e diversas cidades do interior. São policiais que atuam na patrulha e atendem ocorrências nas ruas e, também, recebem chamados pelo número 190 ou 193 e dão instruções precisas aos pais sobre como agir para desengasgar e salvar a criança.

O caso mais recente foi em Umuarama (Noroeste), segunda-feira (10), quando a ação rápida do soldado Simon Vicente Pastora Chaves, salvou a vida de uma bebê de apenas 17 dias. “Eu sei que foi Deus quem me levou até a família”, afirma o soldado, que atua no 25º Batalhão de Polícia Militar, pertencente ao 3º Comando Regional de PM.

A comandante-geral da PM, coronel Audilene Dias Rocha, lembra que a corporação atua, em todas suas atividades, para salvar e proteger vidas. “No entanto, salvar a vida de um recém-nascido, de crianças, é ainda mais significativo, pois é um momento de desespero de pais e mães, que não sabem o que fazer e que ficam eternamente gratos”, diz a comandante.

“É o policiamento comunitário, que não é feito apenas porque a lei determina, mas sim porque o amor fala mais alto. Este tipo de ação, embasada pela coragem e pelo amor, tem ocorrido em todas as regiões do Estado e, com certeza, mostra um diferencial de nossos policiais", afirma a comandante.

Outro caminho

Na noite de segunda-feira, o soldado Simon voltava de viatura para a sede do BPM e, pela primeira vez, decidiu experimentar outro caminho, seguindo pela rua Carlos Zelaquett, no Parque dos Bandeirantes. Foi quando encontrou a mãe e um grupo de pessoas, que acenaram pedindo ajuda. O policial prontamente acudiu, utilizando a técnica da “tapotagem”. A menina foi salva e, após receber atendimento médico no hospital da cidade, foi para casa.

O soldado Simon conta que, um dia após o resgate, quando a mãe da criança mandou-lhe imagens da filha, não conteve a emoção. “O sentimento de dever cumprido, de saber que você foi um instrumento para salvar a vida de alguém é único”, afirmou.

Tapotagem

A técnica, segundo informações da Polícia Militar, é ensinada aos policiais pelo Corpo de Bombeiros já no curso de formação para ingresso na corporação. O procedimento consiste em segurar a vítima de bruços e dar alguns tapinhas nas costas até que as vias áreas sejam desobstruídas.

Prontos para agir

Para a soldado Ingrid Nayara Rodrigues Ferreira, auxiliar de comunicação do 25º BPM, é importante que os policiais militares sejam instruídos e preparados para atenderem ocorrências dessa natureza. “Como eles estão sujeitos a lidar com situações como esta, diariamente, é importante que todos estejam prontos e possam agir da forma mais ágil e eficaz possível”, afirmou.

Orientação

Para o soldado Simon, é importante que as pessoas, ao passarem por situações como esta, mantenham a calma e acionem a Polícia Militar pelo 190 ou o Corpo de Bombeiros pelo 193. “A pessoa que passa por isso, justamente pelo nervosismo, muitas vezes não consegue prestar os primeiros socorros. Manter a calma em momentos assim, apesar de ser algo difícil, é fundamental”, afirma Simon.