Cotidiano

Simepar não tem previsão para o fim das chuvas no noroeste do Paraná

Volume de chuvas de janeiro deve ultrapassar médias históricas em quase todas as cidades da região
["Com pancadas de chuva inesperadas quase todos os dias, os cianortenses j\u00e1 est\u00e3o se acostumando a sair sempre com o guarda-chuva"," ",""] (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

Desde o início do ano está chovendo praticamente todos os dias em Cianorte e nas cidades do entorno. Na maioria delas, o volume de chuvas dos primeiros 15 dias já ultrapassou a média histórica para todo o mês de janeiro. Na Capital do Vestuário, choveu 177,4 mm do dia 1ª ao dia 15. A média histórica para o mês é de 211 mm.

Segundo o Simepar, este ano o volume deve ultrapassar a marca, pois não há previsão para o fim das chuvas no noroeste. “A previsão é de que continue chovendo pelo menos pelos próximos sete dias. No geral, o mês de janeiro todo será bem chuvoso. Isto porque os canais de umidade que vem da região amazônica estão estacionados aqui. Geralmente, eles migram mais, vão para o sudeste e depois retornam nesta época do ano, mas desta vez estamos percebendo muito mais umidade sobre o Paraná e a região sul como um todo”, explicou o meteorologista Reinaldo Kneib.

A previsão para esta terça-feira é de chuvas e trovoadas rápidas, as famosas “pancadas de verão”, de acordo com o Simepar. A temperatura mínima prevista é de 21°C e a máxima de 27°C.

REGIÃO

Umuarama foi a cidade mais atingida da região noroeste. O grande volume de chuvas do final de semana provocou alagamentos em diversos bairros, algumas ruas tiveram o asfalto arrancado, estradas foram danificadas e novos pontos de erosão foram registrados. De acordo com o balanço da Defesa Civil e da Prefeitura, 47 imóveis ficaram danificados, 51 pessoas ficaram desalojadas temporariamente e mais de 30 residências foram alagadas. Segundo o Simepar, choveu cerca de 50 mm em menos de duas horas na sexta-feira; desde o dia 1° de janeiro já foram 235 mm, mais do que o dobro da média histórica para todo o mês, que é de 150 mm. A assistência social do município começou a distribuir ajuda no sábado e a comunidade também está se mobilizando para arrecadar donativos, roupas e móveis.

Em Cascavel, foram 196 mm de chuva desde o início de janeiro. A média histórica para todo o mês é de 178 mm. A cidade também foi atingida por temporais no final de semana e registrou alagamentos, destelhamentos e quedas de árvores. (Com Assessoria da Prefeitura de Umuarama e Umuarama News)

Excesso de água promove espetáculo em Itaipu

Neste domingo (14), a Usina de Itaipu abriu simultaneamente as três calhas do vertedouro para escoar o excedente de água não utilizada na geração de energia. Há mais de um ano e sete meses as 14 comportas da usina não eram abertas ao mesmo tempo. A última vez havia sido em junho de 2016. A cena é rara e ocorre geralmente em períodos de grandes cheias. A medida operacional tenta equilibrar a vazão e evitar problemas decorrentes do excesso de água que chega. A binacional está precisando verter por causa do grande volume de chuvas na Bacia do Rio Paraná, acima da hidrelétrica, e também na área do reservatório. (Com Assessoria Itaipu Binacional)