Saúde

Sesa confirma morte de mulher de 52 anos por gripe em Cianorte

Vítima, além de cardiopata e diabética, também sofria com problemas de hipertensão, obesidade e pneumonia
Medidas simples, como lavar muito bem as mãos várias vezes ao dia por ajudar a propagar a gripe (Foto: AEN )

A Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa) confirmou na quarta-feira a segunda morte por gripe registrada em 2019 em Cianorte. O óbito consta no boletim da gripe divulgado no mesmo dia na página da pasta na internet. De acordo com a Secretaria, trata-se de uma mulher de 52 anos, com cardiopatia e diabetes.

A morte foi confirmada também pela Secretaria Municipal de Saúde, através da assessoria de comunicação da Prefeitura de Cianorte. De acordo com as informações, o óbito aconteceu no dia 21 de outubro. A vítima, além de cardiopata e diabética, também sofria com problemas de hipertensão, obesidade e pneumonia. Conforme a Secretaria de Saúde de Cianorte, a vítima não procurou as unidades básicas de saúde para se vacinar contra a doença, já que ela tinha direito à imunização por ser do grupo de risco. A morte ocorreu em Cianorte.

Este foi o segundo óbito por gripe registrado em Cianorte em 2019. O primeiro caso é de uma criança de 10 meses. O bebê entrou para as estatísticas de morte da gripe no estado, mas a Secretaria de Saúde local informou que a criança tinha má formação cardíaca. A morte aconteceu no dia 24 de agosto, no Hospital Norospar em Umuarama.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde são 658 casos confirmados de síndromes respiratórias agudas provocadas pelo vírus Influenza desde o começo deste ano. São 35 casos a mais que o boletim anterior, divulgado em 16 de outubro, com 623 casos. O informe totaliza 127 óbitos por gripe neste ano – 109 são casos confirmados de H1N1.

De outubro para cá foram registradas cinco mortes. Em todos os casos as pessoas não tinham recebido a vacina da gripe e apresentavam fator de risco associado. Além da vítima em Cianorte, as outras mortes foram registradas em Maringá, uma mulher de 82 anos, com diabetes; Foz do Iguaçu, uma mulher de 73 anos; Curitiba, uma mulher de 94 anos, portadora de doença neurológica, pneumonia e também cardiopata; e outro caso em Curitiba, um menino de cinco anos que apresentava cardiopatia como fator de risco.

“Os casos de gripe atingem com maior gravidade os maiores de 60 anos, os adultos na faixa dos 50 a 59 anos e os menores de seis anos. As pessoas nestas faixas devem estar atentas às infecções por Influenza. A idade, associada a outros fatores de risco como, por exemplo, doenças neurológicas, renais e do coração, pode levar ao óbito”, destaca o chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da Secretaria da Saúde, Renato Lopes.

Segundo o técnico, as medidas de prevenção à gripe devem ser mantidas. “A oscilação da temperatura, com dias frios e de muito calor, ajuda provocar a gripe. Por isso, a prevenção deve ocorrer durante todo o ano”, completa Lopes.

Entre as medidas preventivas estão a higienização frequente das mãos, principalmente antes das refeições, e a ventilação constante dos ambientes.

Os principais sintomas da gripe são febre alta, acima de 38 graus, com início repentino, além de dor de garganta e de cabeça, calafrios, sensação de cansaço e tosse seca. Diante dos sintomas a recomendação a busca de atendimento médico nas unidades de saúde.