Cidades

Servidores do IAP voltam ao trabalho e greve dá sinais de enfraquecimento

Câmpus da Universidade Estadual de Maringá (UEM) funciona parcialmente
Professores e funcionários da APP-Sindicato durante mobilização na Praça Moraes de Barros. (Foto: Divulgação/APP)

O terceiro dia de greve dos servidores públicos estaduais voltou a registrar baixo índice de adesão em Cianorte. Após permanecer em greve por dois dias, os servidores do Escritório Regional do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) retornaram às atividades nesta quinta-feira, 27. Na educação, apenas alguns professores e funcionários da APP-Sindicato seguem paralisados. O Câmpus da Universidade Estadual de Maringá (UEM) em Cianorte teve 50% das suas atividades paralisadas.

De acordo com o Núcleo Regional de Educação de Cianorte, nenhum estabelecimento de ensino paralisou 100% de suas atividades na região dos 12 municípios de sua abrangência. No período da manhã, a adesão foi de 11,07% e, à tarde, 11,76%. Os números apontam queda com relação aos dois primeiros dias de greve.

A reportagem entrou em contato com a APP-Sindicato de Cianorte, mas, até o fechamento desta edição, a diretoria ainda não havia divulgado o balanço do terceiro dia de greve. Durante a greve, as atividades do sindicato são distribuídas entre mobilização na Praça Moraes de Barros e na sede, além de visitas às escolas da região.

Na UEM, com quatro cursos em Cianorte, a paralização é de 50% nesta quinta-feira, 27. Durante o dia, os cursos de Design e de Moda funcionaram normalmente. À noite, porém, não haverá aulas nos cursos de Contabilidade e de Pedagogia. De acordo com o Alessandro Santos da Rocha, diretor do Câmpus Regional de Cianorte, haverá uma reunião no início da tarde de hoje, 28, para definir sobre a paralização total das atividades.

GOVERNADOR MINIMIZA GREVE

O governador Ratinho Júnior (PSD) minimizou ontem a greve dos servidores públicos estaduais, iniciada na última terça-feira (25), em protesto pelo reajuste salarial de 4,94%, relativo à inflação dos últimos doze meses. "A greve é muito pequena. Nós contabilizamos 4% no Estado do Paraná. São alguns poucos professores. Mais sindicalistas. A grande massa dos professores têm consciência de sua missão", avaliou ele.

O governador também criticou os grevistas, lembrando que tem pouco tempo no cargo. "Essa greve é uma greve injusta. Porque com cinco meses de governo fazer uma greve?", questionou. Ratinho Jr afirmou ainda que a paralisação prejudica a população. "Além disso, uma greve que não é contra o governador, é contra os pais, é contra quem paga o salário deles", disse.

Ratinho Jr reafirmou que não vai reabrir negociações enquanto houver greve. "No governo do Estado quem faz greve não vai ter conversa", avisou. "Eu tenho conversado com vários outros servidores de outros sindicatos que não entraram em greve", disse. "Nós vamos trabalhar com quem faz no diálogo, quem realmente quer construir uma proposta com responsabilidade para o Estado não ser quebrado", defendeu. (Bem Paraná)