Política

Segundo Rodrigo Maia, não há data para votação de reforma

O presidente da Câmara disse que a base do governo não está articulada para a aprovação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), disse nesta quinta-feira, 30, que o governo segue sem votos suficientes para aprovar a reforma da Previdência e, por isso, a matéria ainda não tem data para ser colocada à votação. "Se conseguirmos, vamos votar neste ano, mas não posso dar uma data porque não tem voto. Só vou marcar uma data se tivermos os votos", comentou, acrescentando que, sem a reforma, o País prejudicará o futuro das novas gerações porque as distorções do sistema de aposentadorias retiram recursos das áreas de educação e saúde.

Ao deixar fórum da JP Morgan na zona sul da capital paulista, o parlamentar admitiu que a votação da medida provisória do Repetro na quarta-feira indicou dificuldade na aprovação da proposta de emenda constitucional que muda as regras das aposentadorias, dependente do apoio de pelo menos 308 deputados.

Ele avaliou que o resultado da votação do texto-base da MP do Repetro - aprovado por 208 votos, contra 184 contrários - expôs a falta de articulação da base aliada ao tratar uma matéria bem menos polêmica.

"Não estou sendo pessimista com a reforma da Previdência, estou sendo realista. Trabalho 24 horas por dia nesse tema", comentou o presidente da Câmara. "Muitos deputados e amigos me falam que esse tema é polêmico, difícil e que eu deveria sair desse tema. Não vou sair porque a Previdência vai garantir o futuro de muitas crianças no País", acrescentou.

Maia ponderou que ainda tem esperança de que conseguirá reverter a percepção dos colegas de que o apoio à reforma da Previdência vai tirar votos nas eleições do ano que vem.