Saúde

Secretaria de Saúde intensifica ações para detectar e combater hepatites virais

Mais de 250 testes rápidos mensais no CTA ajudam a identificar demanda reprimida do município
Os testes rápidos são gratuitos e estão disponíveis em toda a rede pública de saúde (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

A hepatite é considerada um grave problema de saúde pública no Brasil e consiste em uma inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus. O Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais é lembrado no próximo sábado (28) e faz parte do mês de prevenção a essas doenças. Em Cianorte, o gerenciamento das notificações é de responsabilidade do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da Secretaria Municipal de Saúde, que intensificou as ações de detecção da doença.

De acordo com os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), atualmente há oito casos confirmados de pacientes com hepatites virais submetidos ao tratamento em Cianorte. Em 2017, foram 26 e em 2016, 16. A enfermeira do CTA, Aline Soares de Almeida Leal, explica que os números não representam a quantidade total de casos, pois a demanda reprimida é alta.

“Como essas doenças são silenciosas, muita gente tem o vírus e não sabe e só procura assistência médica quando já está debilitada. Para ampliar as notificações, costumamos fazer ações coletivas de testes rápidos em empresas, shoppings e outros locais, e sempre detectamos pelo menos um ou dois casos”, afirma. O CTA realiza cerca de 250 testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites virais por mês. Segundo a enfermeira, o local recebe de 15 a 20 pessoas por dia a procura do exame.

TIPOS DA DOENÇA

Além da infecção por vírus, a hepatite pode estar relacionada ao consumo excessivo de drogas, álcool e medicamentos. As hepatites A e E geralmente são adquiridas em condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos. O tratamento desses tipos da doença é simples e a eliminação do vírus ocorre em poucos dias. Já as hepatites B, C e D são mais preocupantes e demandam cuidados específicos. Elas são transmitidas pelo sangue, ou seja, passam de uma pessoa para outra por meio do sexo desprotegido, na hora do parto (de mãe para filho) e no compartilhamento de seringas, agulhas, alicates e outros objetos cortantes.

“Os vírus das hepatites B, C e D são muito resistentes e podem sobreviver por muito tempo no mesmo ambiente, por isso a prevenção deve ser constante. Nossa orientação é que as pessoas façam o teste rápido regularmente, utilizem o próprio alicate de unha, sempre usem preservativo nas relações e tomem a vacina”, alerta a enfermeira. A imunização disponível na rede pública de saúde protege contra as hepatites A e B, mas não é 100% eficaz em todos as pessoas.

CARACTERÍSTICAS

Os principais sintomas da doença (quando aparecem) podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. De acordo com Aline, a maior demanda é detectada pelos agentes comunitários de saúde e pelas Unidades Básicas de Sáude (UBS). Alguns doadores que procuram a Unidade de Coleta de Sangue (UCT) também são identificados com o vírus e encaminhados ao CTA. Profissionais que atuam na saúde, gestantes e pessoas que tiveram contato com agulhas ou objetos cortantes recebem acompanhamento específico.

A enfermeira esclarece que o tratamento para as hepatites é simples e ocorre por meio de medicação, mas a duração varia de caso para caso. A preocupação é com o diagnóstico tardio e a debilidade do paciente. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as hepatites B e C chegam a ser responsáveis por 1,34 milhões de mortes ao ano em todo mundo e as infecções crônicas decorrentes da doença respondem por dois terços dos casos de câncer de fígado.

SERVIÇO

Os testes rápidos para detecção das hepatites e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) estão disponíveis em todas as UBSs do município e no CTA, que fica ao lado da UBS Extensão. No Centro de Testagem e Aconselhamento, podem ser realizados de segunda a quinta-feira, das 8 às 11 horas e das 13 às 16 horas. O acompanhamento dos pacientes também é feito na unidade.