Saúde

Saúde vai investir R$ 6,9 mi por ano em exames de prevenção ao câncer

(Foto: Arquivo/ANPr)

A Secretaria da Saúde (SESA) vai investir cerca de R$ 6,9 milhões por ano para realizar exames relacionados à prevenção do câncer na mulher. Foram formalizados contratos com 40 instituições de saúde para credenciamento de exames.

Os contratos liberam recursos mensais de R$ 580 mil para que hospitais e clínicas localizadas em 14 regionais de Saúde do Paraná realizem os exames por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Nosso objetivo é levar atendimento e serviços especializados para perto da população, destacando as ações de prevenção como fundamentais para a qualidade de vida”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto. Ele acrescentou que o câncer é uma das principais causas de morte entre as mulheres e os exames preventivos são imprescindíveis para o diagnóstico precoce.

O contrato prevê três tipos de exames: preventivo de colo de útero (citologia oncótica do colo do útero); remoção de células da mama para detecção de nódulos (citologia de mama); e análise microscópica de tecidos retirados em biópsias (procedimento de histopatologia).

Importância dos exames

O exame preventivo do colo do útero é reconhecido mundialmente como estratégia segura e eficiente para descoberta precoce deste tipo de câncer. Protocolos do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional do Câncer (Inca) indicam que o exame deve ser feito uma vez por ano em mulheres que já tenham tido atividade sexual e, depois de dois exames anuais consecutivos negativos, a cada três anos.

O câncer do colo do útero é o terceiro tipo mais comum entre as mulheres brasileiras. O Inca estima a ocorrência de cerca de 16 mil casos novos no ano passado no país, com um risco estimado de 17,11 casos a cada 100 mil mulheres.

O exame de citologia mamária auxilia na detecção de nódulo maligno ou benigno nas mamas e faz parte do diagnóstico indicativo para cirurgias. O câncer de mama atingiu no ano passado 59,7 mil mulheres.

Já o exame de histopatologia é o estudo aprofundado dos materiais colhidos nas biópsias e também auxilia na detecção do câncer, revelando a presença de células infectadas.

A verba anual de R$ 6,9 milhões atende à prestação de serviços nas cidades de Almirante Tamandaré, Curitiba, São José dos Pinhais, Irati, Guarapuava, São Mateus do Sul, Pato Branco, Francisco Beltrão, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Astorga, Maringá, Apucarana, Londrina e Rolândia.