Saúde

Saúde investiga morte por gripe em Cianorte

Regional de Saúde quer confirmar se paciente morreu em decorrência da doença.
13ª Regional de Saúde ainda investiga morte em Cianorte (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

O boletim da gripe divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), na quarta-feira (8), registrou a primeira morte por gripe do ano em Cianorte. A vítima foi uma mulher de 69 anos, que contraiu o vírus Influenza A(H3) e havia tomado a vacina, conforme a pasta. A 13ª Regional de Saúde de Cianorte informou que a Secretaria Municipal de Saúde solicitou uma investigação do caso, para confirmar se a paciente morreu em decorrência da gripe ou se tinha a doença, mas morreu por outros motivos. A Regional foi notificada do caso no dia 18 de julho, três dias antes da morte.

Nos últimos dois anos, não houve mortes por gripe na região. Em 2017, foram 13 casos da doença, sendo quatro em Cianorte, quatro em Jussara e cinco em Rondon. Em 2016, foram 17 casos ao todo, 13 em Cianorte, um em Cidade Gaúcha, um em Japurá, um em Jussara e um em Tuneiras do Oeste.

O último boletim também confirma um total de 15 casos na região, sendo seis em Cianorte, um em Cidade Gaúcha, um em Japurá, um em Jussara e um em Rondon. Em todo o Paraná já são 541 casos em 2018 e 87 mortes. Das mortes confirmadas, 30 eram mulheres e 57 homens. O número é 163% maior do que no mesmo período do ano passado, quando foram registrados 33 óbitos.

Em uma semana, 10 mortes foram notificadas no estado. Além de Cianorte, Araucária, Cascavel, Nova Esperança, Prudentópolis e Turvo, registraram uma morte cada. Pinhão, na região Central, e Foz do Iguaçu, no Oeste, tiveram dois óbitos confirmados.

Os municípios com o maior número de casos fatais da doença são Curitiba, com 13 mortes, Londrina, com 11, e Foz do Iguaçu, com sete. Do total, 43 mortes foram provocadas pelo vírus da influenza A(H3), 39 pelo vírus A(H1N1), 17 pela influenza B e outras 39 pelo vírus da influenza A não subtipado, de acordo com a Sesa.

Procurada, a Secretaria de Saúde de Cianorte informou que estava buscando informações sobre a paciente e os detalhes da morte, mas até o fechamento desta edição não houve retorno sobre os questionamentos feitos pela reportagem. 

ORIENTAÇÕES

A gripe é uma doença causada pelo vírus da Influenza, que ocorre predominantemente nos meses mais frios do ano. Ela tem início súbito e, na maior parte dos casos, cura espontânea, entre sete e dez dias. Em algumas situações, podem ocorrer complicações como pneumonia e insuficiência respiratória. Essas complicações são mais comuns em grupos mais vulneráveis, como as pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de dois anos, gestantes e portadores de doenças crônicas.

A recomendação da Sesa é de que o tratamento comece o mais breve possível. O uso do antiviral, ainda nas primeiras 48 horas, pode reduzir a duração dos sintomas e, principalmente, a redução da ocorrência de complicações da infecção pelo vírus Influenza. Por isso, a orientação é buscar atendimento médico nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) assim que os sintomas aparecerem. Os mais comuns são: tosse, dor de cabeça e garganta, falta de ar, cansaço, dores musculares, nas articulações e nas costas, febre repentina e calafrios.

Para prevenir a gripe, o ideal é lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão; evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies; não compartilhar objetos de uso pessoal; cobrir a boca e o nariz com o antebraço ou lenço descartável ao tossir ou espirrar; manter os ambientes arejados, com portas e janelas abertas e tomar a vacina que protege contra o vírus.

Este ano, a procura pela imunização ficou abaixo do esperado em praticamente todo o país. No Paraná, as doses restantes da vacina foram liberadas a toda a população após o término da campanha. Cianorte cumpriu a meta de imunizar 90% do público-alvo e as doses restantes acabaram em poucas horas. (Com informações G1, Paraná Portal e Sesa)