Saúde

Saúde alerta para acidentes com animais peçonhentos

Nos quatro últimos meses do ano é comum o aumento da circulação de animais peçonhentos. Para evitar acidentes, a Secretaria de Estado da Saúde alerta a população e mobiliza profissionais para que orientem redobrar os cuidados na prevenção de picadas de aranhas-marrom, escorpiões e serpentes.

De acordo com a diretora do Centro Estadual de Vigilância Ambiental, Ivana Belmonte, a partir de outubro os registros de casos de acidentes com animais peçonhentos crescem em torno de 40%. Ela explica que isso acontece em decorrência das chuvas, da elevação das temperaturas e do alto fluxo de turismo ecológico no período de férias.

Em 2018, o Paraná já registra 11.738 acidentes deste tipo, 632 por picadas de cobras e serpentes e 6.428 mil por aranhas. Em 2017, foram contabilizados mais de 17 mil acidentes com animais peçonhentos – 1.007 por cobras e 9.693 por aranhas.

“É importante que nesse período sejam intensificadas as estratégias de prevenção e controle dos acidentes por animais peçonhentos, principalmente as cobras e serpentes, junto às populações expostas. O que também contribuiu para a diminuição das ocorrências é a divulgação das informações de prevenção nos meios de comunicação”, destacou Ivana.

Prevenção

O chefe da Divisão de Zoonoses e Animais Peçonhentos, Francisco Gazola, orienta que animais peçonhentos são aqueles que possuem veneno e capazes de injetá-lo por meio de dentes ou ferrões, como escorpiões, aranhas, serpentes, lagartas e abelhas, entre outros. Dependendo da espécie e gravidade da picada, os acidentes podem levar até mesmo a morte, caso a pessoa não seja socorrida e receba o tratamento adequado a tempo.

De acordo com Gazola, algumas atitudes essenciais podem evitar acidentes com serpentes. “Para quem trabalha em áreas de mata ou faz trilhas, é imprescindível usar botinas com cano alto, pois 80% das picadas atingem as pernas abaixo dos joelhos”.

Ele também chama a atenção para a necessidade de usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem; evitar colocar as mãos em buracos na terra, ocos de árvores e cupinzeiros; examinar sapatos antes de calçá-los, pois as serpentes podem refugiar-se dentro deles; limpar as proximidades das casas, evitando folhagens densas junto a elas; evitar o acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção.

Para prevenir acidentes com aranhas e escorpiões, a orientação é que calçados, roupas, toalhas de banho e lençóis sejam verificados antes do uso, além de limpar periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura.

“São atitudes rápidas, mas que podem salvar vidas. Também reforçamos que pais e responsáveis estejam sempre atentos quando seus filhos estiverem brincando ao ar livre ou perto de áreas com muita vegetação”, diz Ivana.

Atendimento médico

No Paraná, os antivenenos estão disponíveis nas redes das 22 Regionais da Saúde. Existem no Estado 202 centros de referência para aplicação dos soros. Em caso de dúvidas, ligar para o Centro de Controle de Envenenamentos no telefone 0800 410148, que tem plantão 24 horas.

“Em caso de acidentes com animais peçonhentos, a pessoa deve procurar atendimento médico imediatamente para receber o soro e o tratamento necessário. A rapidez no atendimento pode fazer a diferença entre a vida e a morte”, alerta Ivana.