Cidades

Rodovias da região estão menos violentas

Fluxo menos intenso e prudência têm reduzido acidentes e mortes
Cerca de 15 mil veículos trafegam diariamente pela rodovia PR-323 (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

Com uma área de atuação de 220 quilômetros e 10 municípios, o posto da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) de Cianorte contabiliza o número de acidentes, mortes e feridos na região diariamente. Entre os anos de 2016 e 2017, os dados mostram redução em todos os quesitos. Os acidentes caíram 16%, o número de feridos 25% e as mortes tiveram uma queda ainda mais expressiva, de 48%.

Para o comandante do posto local, subtenente Antônio Sérgio Dinardi, a redução pode ser ligada a diversos fatores. “A crise financeira do país fez com que as pessoas viajassem menos, o que diminuiu o fluxo nas estradas. Além disso, o reajuste de mais de 40% nos valores das multas e as más condições das vias têm feito com que os motoristas dirijam com mais prudência”, afirmou.

A obrigatoriedade do farol aceso durante o dia também contribuiu para a diminuição dos acidentes, segundo o comandante, mas muitos motoristas ainda esquecem de seguir a lei. “Muita gente confunde o farol aceso com a meia luz, muitos esquecem e outros não acendem porque vão percorrer curtas distâncias. Nosso maior índice de multas está relacionado ao uso do farol”, disse o comandante.

No último feriado prolongado apenas dois acidentes foram registrados na região, nenhum deles com vítimas. Mas, segundo o subtenente, nem sempre foi assim. Os policiais já chegaram a atender 14 acidentes só no domingo de Páscoa há alguns anos.

“Não é a rodovia que causa os acidentes, são os motoristas. E o que temos percebido é que a imprudência é maior quando as pessoas percorrem pequenas distâncias, por exemplo, vão de Cianorte até Jussara ou de Cianorte ao distrito de São Lourenço”, disse.

Este ano, ocorreram 64 acidentes com 78 feridos. Os números estão dentro das médias mensais, mas as mortes nas rodovias já chegaram a nove. Em todo o ano passado foram contabilizados 13 óbitos.

“Em um só acidente morreram cinco pessoas este ano, no sábado que antecedeu o Carnaval, na PR-567, entre Cianorte e São Lourenço. Ocorrências assim acabam quebrando as nossas estatísticas. Provavelmente o número de mortes nas rodovias da região em 2018 vai ultrapassar o de 2017”, explicou Dinardi.

RODOVIAS

Com um fluxo médio de 15 mil veículos por dia, a PR-323 é a principal rodovia que faz parte da área de abrangência do posto da PRE de Cianorte. Além de estar na rota de países e estados vizinhos, a estrada também funciona como principal acesso ao Noroeste.

Segundo o comandante Dinardi, a via funciona como porta de entrada de objetos ilícitos, como armas e drogas, e muitas vezes os contrabandistas conseguem driblar a fiscalização com rotas alternativas. “Nossas equipes trabalham 24 horas com operações diárias nas rodovias e fiscalizações, mas temos a intenção de mudar o posto para um ponto mais estratégico e que não tenha tantas alternativas para o transporte de entorpecentes”.

Com a interdição da PR-082, o fluxo aumentou consideravelmente na PR-323 e as obras de recuperação e duplicação tornaram-se ainda mais urgentes. A empresa contratada para a manutenção da via já iniciou os trabalhos e tem até o final do ano para concluir a obra.

No início de abril, o então governador Beto Richa liberou quase 97 milhões de reais para o início das obras de duplicação da PR-323, no trecho de 20,7 quilômetros entre Paiçandu e Doutor Camargo. A licitação para escolher a empresa que fará as obras deve ser lançada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) nos próximos dias.

O posto local da PRE é responsável por seis rodovias – PR-323, PR-082, PR-498, PR-558, PR-567 e PR-479. A área de abrangência começa na ponte do rio Ivaí e vai até o trevo de Tuneiras do Oeste.