Cidades

Região completa três anos sem mortes por dengue

Último óbito registrado pela doença foi notificado em 2015, em Guaporema
O Paraná passou por uma epidemia da doença entre os anos de 2015 e 2016 (Foto: AEN)

A 13ª Regional de Saúde (RS) de Cianorte completou três anos sem registros de mortes causadas por dengue nos 11 municípios. O último óbito confirmado foi em 2015, em Guaporema. O informe técnico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nesta semana, também confirmou que o estado está há dois anos sem mortes. A última foi em abril de 2016.

O Paraná passou por uma epidemia de mais de 56 mil casos e 63 óbitos, entre 2015 e 2016. Já nos dois anos seguintes os casos diminuíram para 587 casos e nenhum óbito foi registrado. De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini, os números de dengue reduziram drasticamente no Paraná graças a um trabalho coletivo, que une Estado, municípios e sociedade. Agora, o objetivo agora é reforçar a campanha de vacinação nas cidades contempladas e intensificar as ações de conscientização para evitar a proliferação da doença.

A 13ª RS registrou apenas um caso confirmado de dengue este ano, no município de Tuneiras do Oeste. Em 2017, foram dois casos, um em Cianorte e outro em Rondon. No ano passado, 179 suspeitas da doença foram notificadas na região; este ano, o número já passa de 90.

Mesmo com a diminuição da incidência da dengue, a população não pode descuidar da limpeza de quintais e terrenos para eliminar os focos do mosquito, pois o índice de infestação continua alto em Cianorte. O primeiro Levantamento do Índice Rápido Aedes aegypti (LIRAa) do ano realizado na cidade chegou a 4,4%, o que significa que a cada 100 imóveis, pelo menos quatro tinham foco do mosquito. Um novo LIRAa deve ser divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nas próximas semanas. O índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 1%.