Saúde

Receio com exame do toque é menor, mas ainda existe

Embora tenha 90% de chances de cura com diagnóstico precoce, o câncer de próstata ainda é o segundo tumor que mais acomete homens em todo país. Uma das causas do câncer está ligada às alterações nos níveis de testosterona ainda na puberdade, mas que apenas na terceira idade pode resultar na hipertrofia da próstata.

Segundo o médico urologista de Cianorte Marcelo Palka, a única forma de descobrir o nódulo é o exame do toque - um tabu que precisa ser driblado por homens a partir dos 40 anos. Ele diz que, embora o preconceito tenha diminuído nos últimos anos, ainda há alguns pacientes que sentem-se desconfortáveis em submeter-se ao toque por receio ou por desconhecimento.

“O exame dura menos de três segundos. É seguro e não causa constrangimentos”, ressalta o especialista, que conta ter sentido uma inversão no comportamento dos pacientes. “Conversando com alguns homens, percebo que o receio do exame ainda está ligado ao desconhecimento e não à sexualidade. Pelo contrário, hoje é ‘homem’ quem faz o exame”, acrescenta Palka.

Para o médico, o acesso à informação e massificação das campanhas, como a do Novembro Azul, tem contribuído para conscientizar muitos homens da faixa etária de risco. “Ainda há muito a ser feito. Por isso as campanhas são importantes”, emenda.

Ronaldo Antunes é um dos exemplos que conseguiu superar o medo e o preconceito em relação ao exame preventivo. Aos 48 anos, ele conta que há dois anos tem feito os testes anualmente.

Os cuidados surgiram depois que ele perdeu um tio vítima do câncer de próstata, em 2011. “Quando soube que é hereditário, não pensei duas vezes em fazer o exame. No início pode até ser constrangedor, mas depois, você percebe que o que te faz mais homem é realizar o exame e não ignora-lo”, destaca Antunes.

IMPORTÂNCIA

O exame preventivo é extramente fundamental, pois, conforme orienta o urologista, quando o paciente começa a sentir os primeiros sintomas é um indicativo de que o tumor já está avançado, reduzindo drasticamente as chances de cura. Quando enraizado, o tumor pode causar dores, insuficiência renal e micção prolongada seguida de esforço.

“Existem uma série de fatores que podem indicar o aumento da próstata. Por isso é necessário que a partir dos 40 anos seja realizado o exame preventivo anualmente”, recomenda Palka.

TRATAMENTO

O tratamento depende do tipo de diagnóstico. As doenças podem ser benignas ou malignas. A maligna é o câncer. As benignas, por vez, possuem várias alternativas terapêuticas que podem ser realizadas em clínicas ou cirúrgicas. As terapias e os exames do toque são oferecidos pelo SUS. Em Cianorte, os testes podem ser agendados pelo Ciscenop.

 

Weslle Montanher

É preciso conscientizar ainda mais, alega urologista Marcelo Palka