Cidades

Quase 5% das crianças nascidas em Cianorte este ano foram registradas sem o nome do pai

Do total de 673 registros de nascimento, 27 não apresentam o nome do pai
Campanha deste ano incentiva os pais a se fazerem presentes durante a gravidez e no desenvolvimento das crianças (Foto: DIVULGAÇÃO SESA)

Desde 2012, o mês de agosto é marcado por ações voltadas à saúde do homem no Paraná. Este ano, a campanha incentiva a paternidade responsável, com o tema “Pai, seja presente!”. Em Cianorte, os números de crianças registradas somente com o nome da mãe são consideráveis. No ano passado, dos 1062 registros de nascimento, 29 não possuem o nome do pai, o que representa 2,7%. Este ano, 673 crianças foram registradas até o dia 4 de agosto. Destas, 27 não apresentam o nome do pai. O número se aproxima do total registrado em 2016 e corresponde a quase 5%.

A campanha Agosto Azul lembra aos homens sobre as mudanças que a paternidade traz e sugere que façam parte da rotina da criança. “A paternidade é um momento que carrega várias novas responsabilidades para a vida de um homem e exige uma nova organização”, aconselha o superintendente de Atenção à Saúde, Juliano Gevaerd.

Segundo a campanha, o homem precisa envolver-se durante a gravidez, participar das consultas de pré-natal e auxiliar a mulher na tomada de decisões. Também deve se preparar para o nascimento do(a) filho(a), conhecendo os sinais de alerta de parto e os procedimentos. A presença do pai na sala de parto transmite segurança à gestante e é garantida por meio da Lei do Acompanhante (Lei Federal nº 11.108/2005).

Após o parto, as orientações são incentivar o aleitamento materno, que auxilia no crescimento e desenvolvimento da criança, e principalmente, participar do desenvolvimento do filho. “A proximidade estimula na formação da criança e no fortalecimento dos vínculos familiares”, complementa o superintendente.

Os homens também devem participar do planejamento reprodutivo da família, se informando sobre métodos contraceptivos. Outra atitude necessária é colaborar de maneira igualitária em casa, dividindo as tarefas domésticas e o cuidado com o filho de maneira justa.

De acordo com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, que atua na promoção do desenvolvimento da primeira infância no Brasil, estudos científicos comprovam que a participação ativa do pai promove segurança, autoestima, independência e estabilidade emocional e aumenta as chances de sucesso da criança nos diferentes aspectos da vida.

Nesta sexta-feira (4), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, lançou um documento para orientar pais e empresas sobre os benefícios da licença-paternidade estendida. O novo Marco Legal da Primeira Infância (Lei nº 13.257/2016) permite que os pais prorroguem de cinco para mais 15 dias o período de licença, desde que comprovem o envolvimento com o desenvolvimento do bebê.

As empresas que participam do Programa Empresa Cidadã podem conceder o benefício, mediante apresentação dos seguintes comprovantes: declaração do profissional de saúde informando a participação do pai no pré-natal, em atividades educativas durante a gestação, ou visita à maternidade. Também poderá ser entregue comprovante do curso online “Pai presente: cuidado e compromisso” promovido pelo Ministério da Saúde.

“Quanto mais tempo as crianças são amamentadas, mais elas adquirem resistência às doenças e intensificam sua relação afetiva com a mãe. Este ano, estamos envolvendo também os pais nesta fase. Por isso, estamos apoiando a ampliação da licença-paternidade daqueles pais que são envolvidos com os cuidados das crianças, para que possam cada vez mais auxiliar as mães, criando um ambiente de conforto e condições adequadas para esta prática tão importante, que é a amamentação”, ressaltou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

A secretaria de Saúde do Paraná organiza uma série de atividades sobre o “Agosto Azul” em todo o estado. (Com informações da Agência Estadual e Agência Saúde)