Estado

Prova Paraná será adaptada para alunos da Educação Especial

Marcada para a próxima terça-feira, 18 de fevereiro, a primeira edição da Prova Paraná em 2020 foi pensada de modo a incluir todos os estudantes da rede estadual de Educação com necessidades especiais. Para que isso seja possível, foram impressas provas diferenciadas para alunos cegos ou com baixa visão e serão repassadas orientações específicas às escolas a respeito da aplicação do teste a jovens da Educação Especial.

No total, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, em parceria com os Centros de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAPs) do Paraná, produziu 1,2 mil provas ampliadas e 141 avaliações escritas em Braille, atendendo a todos os alunos com necessidades especiais. Os estudantes cegos que não dominam o sistema Braille poderão realizar a Prova Paraná com auxílio do Dosvox, programa de computador que lê textos em formato TXT.

Ainda, a pasta vai orientar as escolas quanto aos estudantes com necessidades especiais que não as relacionadas à visão, como deficiência motora, Transtorno do Espectro Autista (TEA) e surdez. Se necessário, esses alunos terão o tempo de prova flexibilizado, além do acompanhamento de um professor de apoio e até de guia-intérprete.

O secretário do Estado da Educação e do Esporte, Renato Feder, afirma que a partir do momento em que a Prova Paraná se destina a diagnosticar o ensino de todo o Estado, esse papel será alcançado apenas se todos os estudantes tiverem condições de participar.

“Com as provas e orientações específicas voltadas aos estudantes com necessidades especiais, vamos garantir que todos os alunos da rede tenham condições de participar da Prova Paraná, um instrumento importantíssimo para identificarmos o que de fato está sendo aprendido pelos nossos jovens, bem como quais são suas maiores dificuldades”, afirma.