Cidades

Prefeito paga fornecedores para evitar cancelamento de baile de formatura

Formandos do ensino médio teriam sido vítimas de golpe; estudantes acusam promoter
O prefeito de Tuneiras do Oeste, Taketoshi Sakurada, o Bóia (Foto: ARQUIVO PESSOAL )

O prefeito de Tuneiras do Oeste, Taketoshi Sakurada, o Boia, impediu que o baile de formatura de 30 estudantes do ensino médio do Colégio Estadual Duque de Caixas, fosse cancelado por falta de pagamento dos fornecedores. A festa estava agendada para o último sábado, 28, um dia depois da cerimônia de coleção de grau dos alunos, mas só aconteceu porque o prefeito pagou as despesas da cerimonia com um cheque pessoal.

Os formandos, amigos e convidados, chegavam ao local da festa quando presenciaram fornecedores retirando a decoração, som e buffet preparado para a cerimônia. De acordo com os fornecedores, que não quiseram gravar entrevista, a medida foi tomada porque o organizador do evento, não pagou pelos serviços dos profissionais e empresas contratados.

Os valores para a realização do baile e a recepção, avaliados em R$ 26 mil, foram rateados entre os próprios estudantes durante todo o ano de 2019 através de uma ‘vaquinha’ que incluiu ainda promoções e rifas organizadas pelos formandos e pagos com antecedência ao organizador da festa. De acordo com informações obtidas no local, o promoter não teria aparecido no local do evento para dar uma satisfação a fornecedores e também aos estudantes.

Ao tomar conhecimento da situação, Boia se dirigiu ao local e pessoalmente negociou com os fornecedores, pagando as despesas da festa com um cheque de sua conta pessoal. “Eu estava em outro evento quando fiquei sabendo da situação. Fui para lá e tentei resolver o problema com os fornecedores para tentar resolver a situação”, disse o prefeito em entrevista ao site noticioso O Bemdito. “Ia ser uma marco negativo na vida daqueles adolescentes, mas deu tudo certo, foram da tristeza à alegria”, completou o prefeito.

De acordo com alguns formandos, o caso foi denunciado à polícia. Até o fechamento desta edição, a Polícia Civil não havia confirmado se abriu um inquérito para investigar o caso. O nome do organizador da festa foi mantido em sigilo porque ele não foi localizado para se defender das acusações.