Cidades

Preço do gás de cozinha sobe pela sétima vez em 2017

Entre março e novembro, o aumento acumulado chegou a 59,9% para o botijão de 13 kg
Desde agosto, o gás de cozinha já teve cinco reajustes, que passaram de 40% no acumulado (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

O novo reajuste de preços do gás liquefeito de petróleo para uso residencial já está em vigor desde domingo (5). O aumento médio de 4,5% nas refinarias foi anunciado pelo Petrobras na última semana e deve-se à alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no hemisfério norte. A variação do câmbio também contribuiu, de acordo com a empresa.

A lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, por isso as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor, conforme os repasses das distribuidoras e revendedores.

O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado ao consumidor, a estimativa é de que o preço do botijão de até 13 kg (GLP P-13) pode ser reajustado, em média, em 2,0% ou cerca de R$ 1,21 por unidade.

O Sindicato das Empresas de Atacado e Varejo de Gás Liquefeito de Petróleo (Sinegás) vem acompanhando os reajustes de preços anunciados desde o início do ano. De acordo com a tabela do órgão, de março a novembro o acumulado chegou a 59,9% para o GLP.

Entre agosto e novembro, a Petrobras já anunciou cinco aumentos para o gás de cozinha, que acumulam uma alta de 43,4% nos preços. De acordo com a empresa, o reajuste acompanha a política de preços divulgada no início de junho.

Desde o início do ano, foram sete reajustes com aumento e um com retração. A nova alteração não se aplica ao gás liquefeito de petróleo (GLP) destinado a uso industrial e comercial. (Com informações Sinegás e Paraná Portal)

REALIDADE LOCAL

Em Cianorte, o preço do botijão de 13 kg do gás de cozinha varia de R$ 65 e R$ 70. Algumas distribuidoras ainda não repassaram o reajuste válido desde domingo ao consumidor final. Os supermercados seguem a mesma faixa de preço.