Cidades

Preço do etanol inicia 2019 em queda

Diferença entre preços praticados no final de dezembro e começo de janeiro chegam a R$ 0,13
Preços do etanol nos postos de Cianorte baixaram até R$ 0,13. (Foto: ULISSES FAUSTINO )

Quem abastece o carro com álcool provavelmente observou nas últimas semanas que houve uma queda no preço nos postos de gasolina. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a média do preço do álcool praticada na primeira semana de 2019 foi de R$2,86. Em Cianorte, nos últimos oito dias foram registradas quedas no preço que chegaram até os R$0,13. Dados colhidos por amostragem pela reportagem indicam para a sexta-feira (11) uma média de R$2,84 no litro do combustível.

Elessandra Almeida Assunção, gerente de posto de gasolina diz que ultimamente as atualizações de preço têm sido diárias. “Nossos preços acompanham o mercado. De acordo com os repasses feitos pela distribuidora, chegamos ao preço que vai estar na bomba”, explica. No posto em que trabalha, a redução no valor até o momento foi de R$0,05. A distribuidora não comentou sobre o assunto.

Os comerciantes da cidade já relatam certo aumento da procura pelo etanol, em relação à gasolina. Diana Britez, gerente de outro posto de gasolina em Cianorte observa que os clientes que não têm uma preferência muito acentuada pela gasolina e costumam trocá-la pelo álcool quando ocorrem quedas do tipo. “Esse comportamento varia muito de pessoa para pessoa, mas com a queda no preço têm aqueles que estão sempre de olho no preço dos dois combustíveis e acabam trocando um pelo outro”, explica.

O confeccionista Marcelo Ronaldo da Silva tem dois carros. Um deles, abastece somente com etanol e o outro com gasolina. Para ele, a queda no preço é bem evidente ao encher o tanque. “Neste carro, que só circula aqui na região, sempre coloco o álcool, que apesar de mais barato tem rendido bastante. A gasolina eu só coloco no meu outro carro, porque viajo com ele e abasteço em uma região em que ela é mais barata. Quando tem uma queda no preço como essa, dá pra perceber a diferença”, diz. Apesar disso, ele não espera que os preços se mantenham nesse patamar baixo por muito tempo. “Com a mudança da safra é normal que dê uma mexida de novo nesse valor”, aposta.