Cidades

Policiais salvam bebê de 14 dias

Em situações de engasgamento é importante pedir ajuda especializada e dar início aos procedimentos de segurança.
Os soldados Adenilson Batista (com o bebê no colo) e Paulo de Souza com os pais do bebê e enfermeiras logo após o atendimento.

Na noite desta terça-feira (14), por volta das 23h30, a Central de Operações da Polícia Militar de Cianorte recebeu solicitação de uma pessoa pedindo ajuda para socorrer um bebê de 14 dias que teria ficado engasgada com leite materno. Por telefone, a equipe da PM orientou os pais como proceder com a manobra de Heimlich, técnica de primeiros socorros utilizada em emergências de asfixia, até a chegada dos policias.

Ao chegar na residência da família, a equipe encontrou a criança no colo do pai. O bebê não apresentava sinais de respiração. Os policiais iniciaram a técnica e deslocaram-se ao hospital para atendimento médico.

Durante o trajeto, a criança regurgitou o líquido que bloqueava o fluxo de ar e voltou a respirar. No hospital, foram realizados todos os procedimentos necessários e o bebê ficou em segurança.

De acordo com o soldado Franquês, do 4º Subgrupamento Independente do Corpo de Bombeiros de Cianorte, situações que envolvem o engasgamento de crianças e bebês são muito comuns, por isso é preciso ficar atento à posição em que ela toma o leite. “É comum a criança engasgar com leite materno, então quando a mãe amamenta é interessante deixar o bebê na posição vertical, para que ele possa arrotar ou até dar um soluço”, afirma o soldado.

Franquês ainda alerta para as posições dos pequenos nos berços, pois esta pode melhorar ou piorar a respiração dos bebês. “É importante que o bebê esteja de barriga para cima, isso melhora a respiração da criança e impede que ela possa se sufocar. E caso ela tenha algum tipo de engasgo ela vai efetuar algum barulho, então é mais fácil para que os pais percebam”, explica.

Além disso, o soldado reforça que outras posições “podem ser arriscadas”. Segundo o soldado, ao deitar de lado a criança tende a respirar mais rápido e absorver o dióxido carbônico, substância que eliminamos na respiração. Ao absorver esse ar, pode ocorrer o sufocamento, entrando mais ar e fazendo com que a criança regurgite. Franquês relata que, nessa situação, o bebê não teria a força necessária para se virar e pode acabar engasgando.

O que fazer

De acordo com o soldado Franquês, o nome da manobra a ser efetuada nos pequenos tem o nome de tapotagem, técnica que possui o mesmo efeito da explicada pelos policiais, onde é preciso dar tapas firmes nas costas da criança. “Ao fazer a manobra, é preciso segurar a criança no ante-braço com a face voltada para a pessoa e com as com as pernas em direção ao corpo de quem a segura. É importante efetuar uma inclinação para baixo, em uma inclinação de 45° e vira ela para o outro braço, deixando-a com as costas para cima”, explica.

“Após posicionar a criança, entre as duas escápulas da criança a gente vai efetuar cinco tapas firmes, para estimular a respiração”, relata o soldado. Depois dos tapas, é importante verificar se a criança voltou a respirar, e caso ainda não tenha, é importante repetir a mesma sequência de tapas, repetindo por cinco vezes, até ela voltar. Caso a criança não volte a respirar, o soldado relata que é possível fazer compressões no peito da criança. Ele ainda reforça que não é interessante chacoalhar a criança, pois pode causar lesões oculares.

Em casos de crianças maiores, é possível fazer o incentivo verbal para que a criança possa tossir ou fazer uma manobra de engasgamento. “Você vai atrás da pessoa e posiciona o pé entre as pernas dela, para dar apoio. Após isso, coloca os braços em volta da pessoa e realiza uma manobra para dentro e para cima, fazendo o processo cinco vezes e avaliando a situação”, explica Franquês.

O soldado afirma que desde o primeiro indício de engasgamento é importante entrar em contato com o SAMU, Corpo de Bombeiros, médicos ou policias, enquanto tenta fazer as manobras.

Manter a calma

Em situações delicadas é importante manter a calma e realizar os procedimentos de maneira firme, relata Franquês. “Ao entrar em contato com o Corpo de Bombeiros, é preciso ter a calma. A pessoa mais calma deve sempre passar as informações, mas caso esteja sozinha, tem que manter calma e explicar o que ocorreu e dar as informações sobre o local”, afirma.

Em entrevista para a plataforma Baby Center, o médico Durval Anibal Daniel Filho, do Hospital Albert Einstein, explica que durante a amamentação a mãe pode dar uma pausa, esperar um pouco enquanto o filho mama e ajeitá-lo na posição de amamentação.

Feiras de saúde

O soldado Franquês afirma que em Cianorte acontecem esporadicamente Férias de Saúde, na qual os bombeiros e soldados são escalados e ficam a disposição da população para esclarecer dúvidas e auxiliar em situações delicadas.