Saúde

Pilates: tendência em saúde e condicionamento físico

Os exercícios beneficiam o corpo e a mente, contribuindo para o bem estar
A fisioterapeuta Luciana Ferreira trabalha com Pilates há quatro anos e recomenda o método (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

O método Pilates foi desenvolvido por Joseph Hubertus Pilates ainda no século XX, durante a 1ª Guerra Mundial. Consiste em um programa de condicionamento físico e mental com uma técnica dinâmica que visa trabalhar força, alongamento, flexibilidade e equilíbrio, com poucas repetições, tendo o abdômen como centro de força. A base do Pilates é um conceito chamado de Contrologia, que é o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo, é a correta coordenação do corpo, da mente e do espírito. A Contrologia prepara-nos para dar flexibilidade, graça natural, habilidades e força muscular, que serão refletidas no desenvolvimento uniforme de todo o corpo ao adquirirmos uma boa forma física.

Luciana Ferreira se formou em Fisioterapia em 2012 e atua com o método Pilates desde 2013. A repórter da Tribuna, que também é adepta do exercício, conversou com a profissional sobre os benefícios dessa tendência em atividade física.

Tribuna de Cianorte: Quais os principais benefícios para quem pratica o Pilates?

Luciana Ferreira: O diferencial do Pilates é que além de alongar a pessoa realiza movimentos globais, nos quais é necessário ativar diversos grupos musculares ao mesmo tempo. O Pilates pode ser aplicado tanto em solo quanto em aparelhos específicos, que funcionam com sistema de molas e alavancas, resultando no aumento de força sem hipertrofia, ideal para quem quer definição corporal, sem ficar “bombado”. Os principais benefícios do método Pilates são: estimular a circulação cardiovascular; melhorar o condicionamento físico, a flexibilidade, o alinhamento postural; melhorar níveis de consciência corporal, coordenação motora, bem estar e qualidade de vida, benefícios esses que ajudam a prevenir lesões e proporcionam alívio de dores crônicas, além de melhorar a saúde.                                                   

TC: Há alguma contraindicação para quem pretende fazer Pilates?

Luciana: O método Pilates é um método seguro, no entanto, assim como em outros métodos e modalidades de exercícios algumas situações exigem cuidados específicos. Sabemos que para o sucesso de qualquer intervenção é necessário que uma boa avaliação seja feita previamente, pois com ela identificaremos os cuidados e contraindicações de exercícios que devemos estar atentos ao montar o plano de aulas. Os exercícios são prescritos de acordo com os objetivos a serem alcançados, da mesma forma que a frequência com que devem ser realizados, podendo ser praticado todos os dias, pois nenhum grupo muscular é exigido demasiadamente, mas devemos respeitar os níveis de aptidão e habilidades físicas individuais.                                

TC: O Pilates pode substituir outra atividade física, como musculação?

Luciana: A maioria das pessoas pensa que o Pilates e a musculação são a mesma coisa, mas na verdade são atividades completamente diferentes. O resultado do Pilates é mais harmônico, a atividade é mais completa, pois trabalha a musculatura de membros superiores e inferiores como um todo, fortalecendo-a por inteiro.
O método Pilates é uma atividade física, porém não trabalha com níveis de batimento cardíaco de intensidade média ou alta, o que é importante para um bom condicionamento cardiorrespiratório. O trabalho aeróbio também é fundamental para alcançarmos bons níveis de saúde geral. Então o ideal é buscar formas de complementar os treinos. Por isso caminhe, corra, pedale, dance ou faça algo que eleve seus batimentos cardíacos. Umas das muitas frases deixadas pelo grande mestre Joseph Pilates que uso como referência é: “Com 10 sessões você perceberá a diferença, com 20 sessões os outros irão perceber a diferença e com 30 sessões você vai ter um novo corpo.” Pratique pilates porque “hábitos incorretos são responsáveis pela maioria de nossas doenças, se não por todas elas.”

Cleide pratica Piates há quase quatro anos e não vive sem o método,
que complementa com outros tipos de atividades