Saúde

Pediatra explica como evitar que bebês engasguem

Cuidados ao amamentar e depois que o recém-nascido se alimenta são essenciais para evitar o susto
Kátia Melo é pediatra e neonatologista e atende em Cianorte na Clínica Vita (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

Em menos de três meses, policiais militares de Cianorte socorreram quatro recém-nascidos engasgados com leite materno. Em todos os casos, os agentes conseguiram reverter a situação, acionar o Corpo de Bombeiros e encaminhar as crianças para atendimento médico. A pediatra e neonatologista Kátia Melo explica que a ocorrência é comum e pode ser evitada com alguns cuidados.

Segundo ela, vários fatores levam bebês ao engasgo. “Os bebês não conseguem mamar e respirar ao mesmo tempo, então eles precisam pausar a sucção para puxar o ar. Isso faz com que o estômago encha de ar durante a amamentação, por isso é necessário fazer com que a criança arrote e libere o ar ingerido depois de se alimentar”, explica.

A médica também comenta que a maioria dos casos de engasgo ocorrem porque o bebê não liberou todo o ar ingerido e o que fica no estômago faz com que o leite volte. “Alguns casos também ocorrem porque o jato de leite sai muito forte ou porque o bebê está com cólica ou com o nariz entupido e suga com mais força o peito da mãe.”

Ela orienta o que deve ser feito quanto ocorre o afogamento ou engasgo. “Se o bebê estiver mamando no colo da mãe ou deitado não é indicado erguê-lo. O ideal é virá-lo de costas, com a cabeça mais baixa que o tórax e dar tapinhas nas costas.” Quando a manobra não funciona, a orientação é entrar em contato com o Corpo de Bombeiros pelo 193.

PREVENÇÃO

Para evitar o susto, alguns cuidados básicos são necessários: manter o bebê mais sentado ao amamentar, sempre garantir que ele libere o ar que engoliu depois de mamar, coloca-lo para dormir com a cabeça elevada e virada de lado.

“A válvula do estômago que segura os alimentos lá dentro só se forma depois de seis meses, por isso os cuidados devem ser redobrados neste período. Mesmo tomando todas as medidas ainda podem ocorrer engasgos eventuais e os pais precisam estar atentos para fazer os primeiros socorros, pois cada segundo é precioso”, afirma Kátia.