Estado

Paraná registra 225 casos de suicídio entre jovens em 2018

O suicídio é a segunda principal causa de mortes entre jovens no mundo
(Foto: Imagem Ilustrativa)

O Paraná registrou 225 casos de suicídio de jovens em 2018. O número preocupa a Secretaria de Saúde, levando em conta que o suicídio é a quarta principal causa de morte entre jovens que possuem entre 15 e 29 anos no Brasil e a segunda no mundo. No estado, 54 jovens tinham entre 15 e 19 anos e 171 entre 20 e 29 anos.

Setembro é o mês de conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio e, neste ano, a Campanha Nacional que marca as ações sobre o tema enfatiza a necessidade de atenção especial com o bem-estar e a saúde mental das crianças e dos adolescentes.

“É importante que a gente dialogue sobre o assunto porque, muitas vezes, com orientação, apoio e compressão de uma situação ou problema, conseguimos preservar vidas. Por isso, o cuidado com a saúde mental é fundamental e temos que multiplicar a informação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A Divisão de Saúde Mental da secretaria estadual elaborou, em parceria com a Escola de Saúde Pública do Paraná e com o médico especialista na área Neury Botega, o Curso de Prevenção do Suicídio, na Modalidade Ensino a Distância. O curso, com duração de 65 horas, está disponibilizado para todo o Brasil com apoio do Ministério da Saúde. Um dos mais procurados pelos profissionais que atuam na área, tem atualmente 8.597 inscritos no Paraná e mais de 36 mil no Brasil. Todos que têm interesse pelo tema podem ter acesso ao conteúdo.

Curso de Prevenção ao Suicídio - para as inscrições no Paraná, clique aqui.

A Semana Estadual de Valorização da Vida e Prevenção do Suicídio foi instituída pela lei nº 18.871, de 2016, com ênfase para a data de 10 de setembro, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

“A proposta do Setembro Amarelo é debater o assunto inteirando a população e os profissionais da saúde para que reconheçam os sinais de risco e possam auxiliar no tratamento, já que os suicídios podem ser evitados se identificados previamente”, afirma a coordenadora da Divisão de Saúde Mental da secretaria, Larissa Yamaguchi.

Por meio das 22 Regionais de Saúde, que atuam em todos os municípios, a secretaria estadual distribuirá material informativo sobre medidas preventivas, além de promover mobilizações sobre o tema.

Dados

A pesquisa mais recente do Ministério da Saúde, de 2016, registra 11.433 mortes por suicídio no país, em média, um caso a cada 46 minutos. O número representa um crescimento de 2,3% em relação ao ano de 2015, quando 11.178 pessoas tiraram a própria vida.

O aumento do suicídio entre os jovens é um fenômeno mundial que vem causando grande preocupação. “Ainda precisamos desmistificar as doenças mentais e disseminar informações sobre depressão, ansiedade e cuidados preventivos com a saúde mental”, ressalta a psicóloga técnica da Divisão de Saúde Mental, Flávia Figel.

Ela explica que todos os sinais de transtorno mental, como mudança repentina de comportamento, oscilação de humor, isolamento, uso de álcool e droga, impulsividade e interesse por situações de risco, casos extremos de irritabilidade, verbalização de ameaça de suicídio, entre outros, devem ser observados com atenção e seriedade, com a busca urgente de tratamento clínico. “As Unidades Básicas de Saúde prestam este atendimento e encaminham para o tratamento especializado”, orienta.

Ligação gratuita

O Centro de Valorização da Vida (CVV) atua na prevenção ao suicídio por meio de apoio emocional às pessoas em situação de risco. O CVV tem uma rede de voluntários treinados à disposição de pessoas que querem e precisam conversar. O telefone é 188. As ligações são gratuitas e sigilosas.