Cidades

Operação Ano Novo termina sem mortes nas rodovias

Apesar do alto índice de motoristas flagrados acima da velocidade, estradas tiveram poucos acidentes
["A Opera\u00e7\u00e3o Ano Novo come\u00e7ou em 28 de dezembro e terminou dia 2 de janeiro. "] (Foto: ARQUIVO TRIBUNA)

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) registrou apenas dois acidentes nas estradas da região durante os cinco dias de Operação Ano Novo 2018/ 2019. Duas pessoas ficaram feridas e não houve nenhuma morte. Ao todo, 133 motoristas foram autuados, a maioria por falta de cinto de segurança, ultrapassagem em local proibido e não uso de farol aceso durante o dia. Nos radares, foram 111 flagrantes de veículos acima da velocidade permitida.

Os números seguiram da virada do ano de 2017 para 2018, quando a operação teve um dia a menos. No período, os policiais rodoviários atenderam apenas um acidente com uma pessoa ferida na região de Cianorte e fizeram 112 autuações e 125 imagens de radar; um veículo foi retido. Na operação deste ano, foram cinco veículos retidos.

Segundo o comandante do posto local, subtenente Antônio Sérgio Dinardi, o movimento nas estradas está tranquilo neste início de ano, pois muitos caminhões de empresas privadas ainda não voltaram a circular.

Na região noroeste, na área de abrangência da 4ª Cia, a PRE registrou uma morte e 19 feridos em 21 acidentes durante a operação. O balanço também apontou 911 motoristas flagrados acima da velocidade permitida, 451 autuações e 16 veículos retidos.

RODOVIAS FEDERAIS

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou 16,5 mil motoristas dirigindo acima do limite de velocidade durante o feriado prolongado de Ano Novo no Paraná. O número equivale a mais de 3 mil flagrantes por dia. Foram registradas sete mortes em acidentes nas rodovias federais paranaenses. Outras 138 pessoas saíram feridas. A PRF atendeu 90 acidentes no estado e 610 motoristas foram autuados por ultrapassagem em locais proibidos.

Os policiais rodoviários federais também constataram 506 pessoas que não utilizavam o cinto de segurança e 141 crianças transportadas sem cadeirinha. Entre as causas dos acidentes fatais estão a desatenção e o excesso de velocidade. (Com informações O Diário)